quinta-feira, 25 de outubro de 2018

VOCÊ SABE QUEM FOI CRULS, LOUIS FERDINAND (1848 - 1908)?

Resultado de imagem para Louis Ferdinand Cruls
Louis Ferdinand Cruls nasceu em Diest, província de Brabante, na Bélgica, em 21 de janeiro de 1848, filho do engenheiro-civil Philippe Augustin Guillaume Cruls (1818-) e Anne Elizabeth Jordens (1831-). Após fazer seus cursos de humanidades, entrou para a Escola de Engenharia Civil da Universidade de Gand, que frequentou de 1863 a 1868. Mais tarde, em 1872, foi admitido como aspirante de engenharia militar obtendo, nesta última carreira, que seguiu durante um ano, os postos de segundo e primeiro tenente.
Em 1874, Louis Ferdinand Cruls pediu demissão do exército de seu país com o objetivo de visitar o Brasil, apenas por curiosidade e sem nenhum plano premeditado, mas influenciado pelos brasileiros que, na época, estudavam na Bélgica. Assim, em 5 de setembro de 1874, Cruls embarcou no pequeno vapor que transportava os passageiros de Bordeaux com destino a Pouillac, onde ancoravam os navios das Messageries Maritimes, que faziam a travessia da Europa à cidade de La Plata, na Argentina. Na viagem fiz amizado com Joaquim Nabuco, que acabava de viajar pela Europa e regressava ao Brasil. Nabuco, nessa época, iniciava sua carreira diplomática. Cruls explicou-lhe que se dirigia ao Brasil por influência de um dos seus compatriotas, o engenheiro Caetano Furquim de Almeida (1850-), que ele conhecera em Gand, no tempo em que ambos frequentavam a Escola de Engenharia Civil. Foi durante o tempo dos seus estudos que Cruls se associou a um grupo de estudantes brasileiros: Jacob Van Erven (1844-1875), Christiano Ottoni (1851-1934), Manuel Caetano da Silva Lara (1847-), José Maria Vianna (1852-), Antônio Chermont (1846-), Félix de Moraes (1844-).
Foi membro da Comissão dos Trabalhos Geodésicos no Município Neutro de 1874 a 1876. Em 1875 publicou em Gante um trabalho sobre métodos de repetição e reiteração para leitura de ângulos, o que lhe credenciou a ser admitido como Adjunto no Observatório Imperial do Rio de Janeiro. Em 1877, publicou um estudo sobre a organização da Carta Geográfica e da História Física e Política do Brasil. Em 1881 aceitou o cargo de diretor do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro. 
Em 26 de maio de 1877, Louis Cruls casou-se com Maria Margarida de Oliveira (1861-1955), no Rio de Janeiro. O casal teve seis filhos.
Enquanto esteve no Rio de Janeiro, Cruls se tornou amigo íntimo do imperador Dom Pedro II, se naturalizou brasileiro, sob o nome de Luiz Cruls, se tornou diretor do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro.
Estudou o planeta Marte e, em 1882, observou o trânsito de Vênus na cidade chilena de Punta Arenas.Uma cratera de Marte foi batizada em sua honra.
Ele viu o império se tornar República e a Constituição de 1891 ser promulgada. O artigo 3º da então nova carta já fazia referência a uma capital no Centro-Oeste: “Fica pertencente à União, no planalto central da República, uma zona de 14.400 quilômetros quadrados, que será oportunamente demarcada para nela estabelecer-se a futura Capital Federal”. Em 1892 foi-lhe cometida a incumbência da exploração do Planalto Central do Brasil e chefiou uma equipe de cientistas que estudou a orologia, condições climáticas e higiênicas, natureza do terreno, qualidade e quantidade de água etc. da área do Planalto Central, onde seria construída a capital Brasília, em 1960.  A viagem ficou conhecida como “Missão Crulz”.
Os membros da Comissão Exploradora do Planalto Central, para a delimitação da área da futura Brasília, 1894. Luís Cruls é o terceiro a partir da esquerda, sentado.
Para formar a comissão, Crulz chamou colegas do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro, ex-alunos da Escola Superior de Guerra e da Escola Militar da Praia Vermelha. No total, 21 cientistas partiram do Rio de Janeiro rumo ao planalto central em junho de 1892. Foram nove meses de viagem, 5.132 quilômetros percorridos e 9.640 toneladas de bagagem.


Em Brasília funciona o Centro Cultural de Ciências da Natureza Luiz Cruls que oferece atividades e programas de educação ambiental e patrimonial, e apresenta a proposta de materializar a memória de Louis Ferdinand Cruls. 
Em 2014 foi publicado o livro "Cruls: Histórias e andanças do cientista que inspirou JK a fazer Brasília" por Jaime Sautchuk (Editora Geração).
Fontes
FONTE: http://belgianclub.com.br/pt-br/creator/cruls-louis-ferdinand-1848-1908
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visitas dos lugares mais distantes

Minha lista de blogs

Aborto diga não!

Aborto diga não!
1999 - Um fotógrafo que fez a cobertura de uma intervenção cirúrgica para corrigir um problema de espinha bífida realizada no interior do útero materno num feto de apenas 21 semanas de gestação, numa autêntica proeza médica, nunca imaginou que a sua máquina fotográfica registaria talvez o mais eloquente grito a favor da vida conhecido até hoje.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.

Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX).

Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença".

Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias.

Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Fonte:www.apocalink.blogspot.com