quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

CONFLAGRADA POR PROTESTOS, UCRÂNIA SE DIVIDE ENTRE EUROPA E RÚSSIA

Veja o mapa europeu. A Ucrânia, país que abriga 44 milhões de habitantes espalhadas em 600 mil quilômetros quadrados de campos verdejantes, é um muro que separa a Rússia da Europa.
Um muro não apenas por suas características geográficas, mas também culturais e políticas.
Os ucranianos se dividem em dois blocos antagônicos: os que querem aderir à União Europeia (UE) e os que defendem a manutenção da influência russa. O primeiro grupo tem ido, em dois meses de protestos, às ruas aos milhares, digladiando-se com uma polícia armada e violenta. O segundo é aliado do governo de Viktor Yanukovich e da Rússia.
— A Ucrânia, desde muito tempo atrás, já era vista como um problema previsível. É o limite para a instalação da UE, a segunda república mais importante da antiga União Soviética (atrás apenas da Rússia) — diz o cientista político Christian Lohbauer, membro do Grupo de Análise de Conjuntura Internacional (Gacint), da Universidade de São Paulo (USP).
Não bastasse a localização geográfica, a Ucrânia tem campos férteis comparáveis aos da Argentina. É algo como o celeiro da Europa central. De lá, sai trigo para abastecer a Rússia, que não quer dividir nem a influência política nem o acesso aos produtos de exportação ucranianos.
Quem pede o fim da hegemonia russa se viu frustrado quando Yanukovich rejeitou acordo com a UE, em 21 de novembro. Três dias depois, 100 mil pessoas foram às ruas contra o governo. Cresceram a repressão e a intervenção russa na atuação do governo ucraniano, em reuniões e até no jeito de reprimir, com leis que lembram um estado de exceção.
A situação se acalmou em dezembro, depois que a Rússia aprovou um resgate financeiro e diminuiu os preços de venda do gás natural. Com as medidas que limitam as manifestações, a ira da oposição voltou a ser atiçada, e a semana passada foi marcada por protestos intensos sob 10º C negativos. Yanukovich se reuniu com líderes dos protestos, mas não houve acordo. Um dos oposicionistas mais influentes, o campeão mundial de boxe Vitali Klitschko saiu do encontro dizendo que o presidente "tem sangue de manifestantes em suas mãos". A UE e a Organização do Tratado do Atlântico Norter (Otan) condenaram a violência e lamentaram o diálogo frustrado. Os Estados Unidos retiraram vistos de repressores. A Rússia definiu como "indecentes" essas críticas, escancarando o confronto latente com EUA e UE.
Putin tenta manter liderança
Após defender sua influência no Oriente Médio, apoiando a ditadura de Bashar al-Assad, Vladimir Putin fincou as garras russas na Ucrânia e adotou discurso de guardião dos bons costumes contra a influência ocidental, atitude que se evidencia nas restrições aos homossexuais e nas prisões de ativistas como as jovens do grupo Pussy Riot (que cantaram uma "oração punk" contra Putin na catedral de Moscou) e os integrantes do Greenpeace retidos três meses na Rússia (entre eles, a brasileira Ana Paula Maciel).
— Nos esforçaremos em ser líderes — escancarou Putin, na semana passada, enfatizando sua intenção de pôr em prática o projeto de união econômica euroasiática de países criados a partir da ex-URSS, à qual a Rússia convida com insistência a Ucrânia.
Christian Lohbauer identifica na atuação russa indícios de desespero para manter a imagem de potência:
— A Rússia é decadente, quer manter influência. Depende do petróleo, está longe de ter um regime de liberdades, tem uma sociedade envelhecida e não conta com nichos econômicos de inovação. Por isso, faz chantagens para manter a influência na Ucrânia.
Cristina Pecequilo, professora de Relações Internacionais da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), analisa a trajetória que vem desde 1991, quando a União Soviética foi desmembrada, lembra as revoltas ucranianas de 10 anos atrás (a Revolução Laranja, em 2004) e fala em "primavera" para definir o movimento contrário à influência desempenhada pela Rússia, que, segundo ela, quer "exclusividade".
— A raiz do problema é a resistência russa em permitir que a Ucrânia se aproxime de organismos internacionais. São recursos energéticos e alimentícios que estão em jogo, além da influência geopolítica.
FONTE: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/mundo/noticia/2014/01/conflagrada-por-protestos-ucrania-se-divide-entre-europa-e-russia-4399980.html

domingo, 16 de fevereiro de 2014

URGENTE! A VENEZUELA SANGRA NAS RUAS! CABE PERGUNTAR ONDE ESTÁ ARIOVALDO RAMOS?

 
Norma Braga conclamaos evangélicos a orar pela Venezuela que, neste momento, vive uma crise institucional de proporções dramáticas. O povo foi às ruas enfrentar o regime revolucionário implantado por Hugo Chávez e herdado por Nicolás Maduro.
Reforço o apelo, trazendo ao leitor um breve resumo do que lá ocorre. Em seguida, lembro o apoio do pastor Ariovaldo Ramos ao regime revolucionário implantado por Chávez.
Enquanto escrevo este artigo, leio notícias sobre a erupção da violência em Caracas, Chacao e outras cidades onde milhares de venezuelanos estão sendo duramente reprimidos pelo governo Maduro, que tem feito uso de violência letal para dispersar os protestos.

O Alto-Comissariado para Direitos Humanos da ONU alertou ontem para o risco de um ciclo de violência na Venezuela. Na contagem oficial de vítimas, os protestos em massa contra o governo bolivariano já deixaram três mortos, cerca de 70 presos e 66 feridos.
Não se sabe, contudo, quantos venezuelanos já morreram, foram feridos ou estão presos porque o fluxo de notícias está sendo bloqueado pelo regime bolivariano.
Por ordem expressa do ditador-em-chefe Nicolás Maduro, foram bloqueadas imagens de usuários da Venezuela que usam a ferramenta para atualizar o mundo sobre o que ocorre por lá. O Twitter confirmou que o regime bolivariano bloqueou o envio de imagens.
Violência vídeo mostra pessoa sendo alvejada na rua
video

Antes do bloqueio, o mundo soube pelos manifestantes que uma das vítimas das tropas do governo em Caracas foi o estudante Bassil Alejandro Dacosta, de 24 anos. Ele foi atingido por um tiro na cabeça. Um jovem cujo único crime foi protestar contra o regime revolucionário.
Veja o vídeo do momento em que o jovem é atingido:
video

Há relatos de outras vítimas fatais que não são contabilizadas pelo governo porque foram assassinadas por forças paramilitares – por obra do então presidente Chávez foram criadas na Venezuela milícias que defendem o país de “espiões e traidores da Pátria”.
MANIFESTANTES SÃO TERRORISTAS?
O governo Nicolas Maduro está fazendouso de uma “lei antiterrorismo” – bastante semelhante a um projeto de lei que deve ser aprovado pelo Congresso brasileiro – pra realizar prisões em massa de oposicionistas.
A ONU criticou a classificação de “terrorismo” usado pelo regime bolivariano para processar os manifestantes. O manifestante considerado “terrorista” pode ter sua prisão imediatamente decretada, sem passar por processo ou ser ouvido em tribunal.

O “presidente” Nicolás Maduro não admite o fato de que povo, espontaneamente, foi às ruas para exigir mudanças políticas. Como todo bom fascista, ele prometeu usar todo o poderio militar do Estado para submeter o povo à ordem revolucionária.
Em discurso transmitido por cadeia de rádio e televisão, Maduro chamou as manifestações de “golpe de Estado em curso” e prometeu que “a revolução bolivariana vai triunfar”. O presidente disse ter dado “instruções muito claras às forças de segurança” e ameaçou prender os manifestantes.

PASTOR BRASILEIRO APOIOU REGIME CHAVISTA
Nos idos dos anos 2000, eu entrevistei o pastor Ariovaldo Ramos durante programação na Faculdade Latino Americana de Teologia Integral (FLAM) para a revista “GENTE S/A”, que parou de circular. Na época, ele via Chávez como “democrata” que lutava contra uma oposição brutal e golpista.
Ariovaldo era um entusiasta da democracia plebiscitária de Chávez. O pastor brasileiro entendia que o regime bolivariano seria um oásis de democracia genuína e igualdade social na América Latina assaltada pelo FMI e pelos caudilhos da direita.
Em 2004, o pastor integrou uma comitiva de brasileiros que foi à Venezuela prestar apoio ao regime bolivariano. O grupo foi recebido pelo próprio Hugo Chávez, a quem entregou um manifesto de apoio.

É claro que para construir esta bonita e épica narrativa, no qual um populista ascende ao poder para libertar a Venezuela das injustiças sociais, Ariovaldo Ramos tinha que ignorar alguns fatos bastante desagradáveis na biografia de Chávez.
A história política de Hugo Chávez começou na fracassada tentativa de golpe contra o presidente Carlos Andrés Pérez em fevereiro de 1992. O episódio deixou 17 soldados mortos e 50 feridos. Chávez admitiu em rede nacional a autoria do golpe.
O governo “revolucionário” de Chávez foi marcado pela censura à imprensa, a perseguição aos opositores do regime, pelo controle das informações, acusações de manipulação, etc
       
Nada disso impediu que, após a morte de Chávez, o pastor Ariolvado Ramos reafirmasse sua admiração ao caudilho esquerdista:
“Todos os que, em todo lugar, lutam pela erradicação da pobreza, pela emancipação do ser humano, e por justiça e acesso ao direito para todos, tiveram, em Hugo Chávez, uma referência de compromisso para com o pobre, para com o despossuído, para com o injustiçado.
Eu, que aprendi a agradecer à Trindade, O Deus do Universo, em Cristo Jesus, por tudo, agradeço pelo privilégio de ter convivido com essa personalidade de minha geração, com quem tive o privilégio de estar por duas vezes.”
A Venezuela pela qual Chávez tanto lutou é uma realidade hoje: um país polarizado, dos ricos contra os pobres, do governo contra a mídia, do exército contra o povo, no qual os opositores do regime, mais do que traidores, são caçados como terroristas.

FONTE: http://colunas.gospelmais.com.br/venezuela-sangra-nas-ruas-onde-esta-ariovaldo-ramos_8492.html

CLIP DO LIVRES PARA ADORAR - QUANDO O MUNDO CAI AO MEU REDOR


Dirigido por Hugo Pessoa, o clipe foi gravado em Londres e traz imagens da banda, mescladas com cenas de um casal que perdeu uma filha e agora, luta para superar o trauma e as dificuldades.
O roteiro do clipe foi pensado de forma a ilustrar a proposta do CD “Mais um dia”, lançado em 2011. Dentro do conceito deste álbum, o ministério Livres busca transmitir a mensagem de esperança e vida do evangelho.

“Quando o mundo cai ao redor” é uma versão em português da música de Steve Fee e Eddie Kirkland, “Everything Fall”. O álbum “Mais um dia” é composto por outras onze faixas, e contém sete composições de Juliano Son, além de outras cinco versões de músicas internacionais, de acordo com a assessoria do Livres.
video



JOHN PIPER - É CERTO CONSUMIR BEBIDAS ALCÓOLICAS?

Assista o vídeo
video

domingo, 9 de fevereiro de 2014

A TELEVISÃO E NOSSA FAMÍLIA


Por Rev. J. Lewis



Nos idos de 1930 David Saronoff, o presidente da RCA, teve a perspicácia empresarial de investir dinheiro num projeto louco e extravagante chamado televisão. Para dirigir este empenho, a RCA contratou um cientista natural da Rússia chamado Vladimir Kosma Zrvorykin e investiu 50 milhões de dólares de modo que em 1939 a RCA pode televisionar a abertura da feira mundial de Nova York. Mais tarde naquele ano, a RCA adquiriu a licença para patentear a televisão e começou a vendendo aparelhos de televisão aos que eram muito ricos. Antes de 1947 o número de lares com TV poderia ser medido em milhares.

Por volta do final do século XX, 98% dos lares dos Estados Unidos tinham, pelo menos, um aparelho da televisão (Gordman, p. 2). A televisão está aqui para ficar. Qual então deveria ser e reação dos cristãos à televisão? Ela é inerentemente má? É um pecado assistir até mesmo os noticiários da TV? Quanto tempo deve um cristão gastar assistindo televisão? Estas são algumas das perguntas que deveriam levantar-se na mente de qualquer cristão consciencioso e piedoso. Meu ponto de vista não é que a TV está completamente errada, como também o rádio e a internet. Contudo, parece-me que estar no mundo, mas não ser do mundo, perdeu sua distinção em muitos lares cristãos de hoje por relaxar a oposição com o mundo (1 Jo. 2:15). “Não ameis o mundo, nem as coisas que estão no mundo. Se algum homem ama o mundo, a amor do Pai não está nele”. 

Portão – Olho, Portão – Ouvido

No livro–alegórico, Guerra Santa, de Bunyan, somos ensinados que a cidade da alma do Homem (que simboliza o coração do homem) ficou mais vulnerável pelas entradas do Portão-Olho e Portão-Ouvido (sentidos da vista e do som) (p.10). A alma do homem foi eventualmente penetrada pelo diabo e seus comparsas através destes dois portões. Assim é conosco. Para salientar isto não é necessário olhar mais longe do que as indústrias de bilhões de dólares de Hollywood e MTV, onde tudo é de uma certa qualidade visual nos acenando para “vir e comprar”. Mas o que eles estão vendendo? É moralidade e castidade e os frutos do Espírito? Ou são as mercadorias deste mundo?

Isto, então, presenteia o Cristão com um dilema interessante à medida em que ele vive na cultura vigente. Quando a TV é muito? Não acho que exista um número sagrado ou uma resposta precisa que não viole a liberdade do Cristão. Contudo, Jacques Ellul aponta corretamente que “televisão age menos pela criação de noções claras e opiniões precisas e mais por nos envolver em uma neblina” (pg. 336). David F. Wells diz com respeito aos perigos da televisão que “A televisão abre para nós o mundo inteiro, legando-nos uma onisciência virtual” (pg. 230). Através da mídia da televisão nós somos encorajados a ter uma espécie de colonização de experiência onde os pecados e virtudes dos outros são incorporadas dentro de nós. Por meio dos nossos olhos e ouvidos somos incitados a partilhar do pecado dos outros, uma vez removido nosso senso de realidade. O que nós próprios jamais faríamos, prontamente vemos com os nossos olhos e ouvimos com os nossos ouvidos.

A. W. Tozer disse certa vez com relação ao Cristão e à cultura mundial:
Por séculos a Igreja permaneceu solidamente contra toda forma de entretenimento mundano, reconhecendo-o pelo que ele era — um artifício para gastar o tempo, um refúgio contra a perturbadora voz da consciência, um esquema para desviar a atenção da responsabilidade moral. Por isto ela tornou-se redondamente insultada pelos filhos deste mundo. Mas, ultimamente, ela tornou-se cansada do abuso e desistiu do esforço. Ela parece ter decidido que se não pode conquistar o grande deus Diversão, ela pode igualmente juntar forças com ele e fazer dele o uso que puder dos seus poderes (pg. 84).

É bem possível que tenhamos nos tornado acostumados a pecar vicariamente através daquelas coisas que vemos e ouvimos. Porque o homem é corrupto por natureza, nós naturalmente queremos ver quão perto podemos chegar do pecado sem realmente tomar parte nele. Dr. Joel Beeke colocou desta maneira: “Por natureza nossa pergunta é: ‘Até onde eu posso ir sem pecar?’ ao invés de ‘Até onde eu posso fugir do pecado e evitar a própria presença do mal?’. No nosso coração mesmo e no centro do nosso espírito de passatempo, fica a TELEVISÃO. Este é um fato óbvio. Os aparelhos de televisão estão nos lares de 97% dos Americanos hoje e 91% de todo o tempo de televisão é dedicado unicamente ao propósito de entretenimento”.

Enquanto o mundo acena ao Cristão para juntar-se ao mal, e Escritura nos diz para “Abstermo-nos de toda aparência do mal” (1 Ts. 5:22). Dr. Joel Beeke dá algumas estatísticas surpreendentes.

Dr. Beeke diz:
“Um estudo chegou à conclusão que durante o tempo transcorrido até uma criança chegar aos 14 anos, pelo menos 18.000 assaltos e assassinatos violentos acontecem diante dos seus olhos. Um outro estudo confirmou que a criança média entre cinco e treze anos de idade embebedam-se em 1.300 assassinatos cada ano, de modo que violência, assaltos e assassinatos não mais falam a mensagem do pecado ou as suas consequências. Assassinatos, ódios, ações e palavras violentas assumem o papel de comportamento normal. A média dos programas para crianças contem trinta e oito atos de violência por hora (programa para adultos: vinte)”.

Ele continua a dizer:
“Nos lares americanos 35% dos horários da refeição são gastos na frente do aparelho de TV. Cada noite, centenas de pais percebem que os programas que surgem são desmoralizantes e prejudiciais para seus filhos, contudo eles mesmos estão tão famintos para deleitar-se no pecado que estes programas contêm que frequentemente deixam seus filhos assisti-los também, não tendo qualquer poder de controle”.

Desta forma a TV é um mal e deve ser evitado.

Um Bom Uso da TV

Muitos têm feito objeção ao conteúdo dos programas de televisão (muita violência, sexo, etc) mas, e a própria tecnologia? Foi Marshall McLuhan quem disse com referência a TV: “o meio é a mensagem” (p. 7-21). Não é isto em parte verdade? A televisão acentua as imagens que se movem em contraste com a linguagem escrita e falada (o resultado mais tangível da nossa era pós-moderna). Como uma mídia fundamentada na imagem, a TV não deixa a imaginação da pessoa pintar qualquer quadro na tela de sua mente mas, ao invés, é a TV que pinta a imagem para você (Myers, p. 117). 

Na realidade, nos está sendo ditado, de um modo bem atormentador e subversivo, o que pensar sobre qualquer tipo de problema moral. Além disso, criatividade, pensamento independente e ingenuidade são todos descartados, para se criar uma enorme coleção de dados armazenados num sistema de computador, de tal modo que pode ser facilmente localizado pelo usuário (assistiu à TV à noite passada? Aquilo não foi um grande show!?). Os únicos visionários num show de TV são os produtores e diretores que decidem para a audiência o que lhes será ou não processado. Não pense nem por um momento que eles não estão enviando uma mensagem por meio do que produzem. 

Além disso, o pensamento paralelo é raramente usado pelo telespectador porque o período de tempo que alguém deseja para analisar o que está sendo exibido num modo lógico/racional, e o programa logo passa para sua próxima sequência de acontecimentos visuais. Kenneth Myers diz com relação a isto: “Uma cultura que é enraizada mais em imagens do que em palavras achará cada vez mais difícil sustentar qualquer compromisso com alguma verdade, desde que verdade é uma abstração que requer linguagem” (p. 164).

Isto ajuda a facilitar com que homens, mulheres e crianças sentem em frente da TV como um escape da realidade. O tempo de lazer da TV devora rapidamente o tempo de adoração da família, o tempo de leitura piedosa, o tempo de brincar com os seus filhos e um tempo pessoal de quietude. Alguém pode dizer: “Mas eu posso controlar a minha TV e o meu tempo”. A réplica do Dr. Beeke é: “As pessoas que dizem que podem controlar a TV estão usualmente falando idealisticamente, não realisticamente” (Beeke).

Cristo é Contra a Cultura?

Assim então, o nosso Salvador e Senhor é contra a tecnologia e a cultura? Absolutamente não! Leia Dr. Leland Ryken “Worldly Saints”[1] e veja como mesmo os puritanos foram proponentes de libertar a cultura. Mas quando a mídia pela qual a cultura vem, nos torna culpados dos pecados de outras pessoas, quando ela rouba tempo valiosos de outras coisas importantes e desafia os padrões bíblicos do certo e do errado, talvez deveríamos dar um passo atrás e examinar o valor atual da própria mídia. As palavras de Paulo poderiam vir à tona aqui. “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convém; todas são lícitas, mas nem todas edificam” (1 Co. 10:23).

Richard Sibbes o diz assim, “Tudo o que exterioriza as boas coisas que temos, deveríamos usar de uma maneira reverente, sabendo que a liberdade que temos para usufruí-las é comprada com o sangue de Cristo. Como Davi que quando teve sede das águas de Bethlehem e disse que não as beberia, porque significava o sangue dos três valentes, assim também, embora tenhamos o livre uso das coisas criadas, contudo devemos ser cuidadosos para usá-las com moderação e reverência e tudo para a Glória de Deus.

Conclusão

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdade, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é da boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Fp. 4:8). Dr. Martin Lloyd-Jones comenta este verso e diz:
O problema que é proposto a nós por este particular texto é todo o problema de relacionamento entre o cristianismo e a cultura. Agora eu tenho certeza que muitos, senão a maioria do povo cristão, está interessada nessa questão, porque ela é de real significado e importância... Em vista de tudo isto, eu sugeriria a você, o que Paulo estava dizendo aos filipenses: Todo o seu pensamento e todas as suas ações devem ser controlados pelo evangelho... Todo pensamento deve ser trazido em sujeição a ele. Que toda a nossa vida seja um tributo e um testemunho ao louvor do nosso Redentor (págs. 181-189).

Isto seria nossa motivação em cada área da cultura. O Senhor está nos dizendo que nós somos os guarda-portões das nossas próprias almas. Existe então alguma vantagem em assistir TV? Talvez exista. Programas informativos, documentários e alguns (embora poucos) programas de passatempo podem ser de benefício e uti-lizados para o avanço do reino (muitos como a internet). Mas, o tempo é curto. Como cristãos reformados estamos obedecendo ao Senhor e remindo o tempo (Ef.5:16)?

As palavras de Samuel Rutherford são boas para concluir, quando ele diz: “Quando a corrida terminar e o jogo estiver ganho ou perdido e você estiver na última volta e no limite do tempo, e colocar seu pé dentro da marca da eternidade, todas as boas coisas do seu curto sonho noturno lhe parecerão como cinzas de uma fogueira de espinhos e palha” (L. D. E. Thomas).

Remindo o tempo porque os dias são maus”. Ef. 5:16.

______________
Nota:
[1] - Santos no Mundo, Editora Fiel, 1992
Bibliografia: 
• Beeke. Joel. “Fair Dinkum.” Free Australians Magazine. issue 52. File retrieved on Friday June 12. 20m from www.thedinkum.comliss.htm.
• Bunyan. John. The Holv War. Choteau: Old Paths Gospel Press. 1999.
• Jacques Ellul. The Technological Bluff Grand Rapids: Eerdmans, 1990.
• Grodman. Tom. Television: Glorious Past, Uncertain Future. Analytical Paper Series. 1996. PDF file retrieved on Friday June 12. 203 from www.statcan.caJcgi-bin/downpub/listpub.cgi?catno=63FD002XIB1995006.
• Marshall McL.uhan, Understanding Media: The Extensions of Man. Cambridge: MIT Press, reprint 1994.
• Myers, Kenneth. AI! God’s Children and Blue Suede Shoes. Christians and Popular Cu1ture. Westchester: Crossway, 1989.
• Thomas. I.D.E. A Puritan Golden Treasury. Banner of Truth. 1989.
• Tozer. AW The Root of the Righteous. Harrisburg. PA: Christian Publications, 1955.
• Sibbes, Richard. Works of Richard Sibbes. Banner of Truth, 1990.
• 10. Wells. David F. The Present Evangelical Crisis. Wheaton: Crossway Books, 1998

***
Fonte: Os Puritanos
VIA: http://bereianos.blogspot.com.br/2014/02/a-televisao-e-nossa-familia.html#.UvfzFvldXgc
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visitas dos lugares mais distantes

Minha lista de blogs

Aborto diga não!

Aborto diga não!
1999 - Um fotógrafo que fez a cobertura de uma intervenção cirúrgica para corrigir um problema de espinha bífida realizada no interior do útero materno num feto de apenas 21 semanas de gestação, numa autêntica proeza médica, nunca imaginou que a sua máquina fotográfica registaria talvez o mais eloquente grito a favor da vida conhecido até hoje.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.

Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX).

Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença".

Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias.

Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Fonte:www.apocalink.blogspot.com