sábado, 29 de dezembro de 2007

AQUECIMENTO GLOBAL A ÚLTIMA CHANCE DE SALVAR O PLANETA?

Muitos têm alertado a respeito do alto custo do aquecimento global para a humanidade. 
Os jornais e os noticiários de TV estão cheios de previsões tenebrosas sobre o colapso da economia mundial: milhões morrerão ou serão desalojados em virtude de secas, fomes e inundações, enquanto Londres, Nova York e Tóquio, juntamente com outras cidades litorâneas, afundarão nos mares cujo nível subirá. Um relatório também predisse que todos os frutos do mar estarão extintos em cinqüenta anos.
A respeito desse panorama há diversas possibilidades
As principais são:


1. O aquecimento global é real e causado pela atividade humana (queima de combustíveis fósseis – carvão, petróleo e gás, queima das florestas tropicais, etc.). Por isso, os governos devem tomar medidas urgentes para salvar o mundo da catástrofe.


2. O aquecimento global é real mas não se tem certeza sobre as causas. Pode tratar-se de atividade solar e parte de um ciclo de aquecimento e esfriamento das temperaturas na Terra. Nesse caso, não há nada que os governos possam fazer a respeito.


3. O aquecimento global é um engano usado por aqueles que querem implantar um governo mundial. Eles estão tentando amedrontar as pessoas para que se submetam aos seus planos.


Vamos analisar essas questões:


1. O aquecimento global é real e causado pela atividade humana


De acordo com o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (PIMC), apoiado pe la ONU , as temperaturas globais poderão aumentar entre 1,4° C e 5,8° C entre 1990 e 2100. O aumento das temperaturas, por sua vez, poderá provocar outras mudanças, inclusive o aumento do nível dos oceanos, a quantidade e o padrão das chuvas. É possível que essas alterações aumentem a freqüência e intensidade de eventos meteorológicos extremos como inundações, secas, ondas de calor, furacões e tornados. Outras conseqüências incluem reduções na produção agrícola, diminuição das geleiras, redução das correntes de verão, extinção de um grande número de espécies e o aumento de organismos transmissores de doenças.
Em seu congresso de 2003, a Sociedade Meteorológica Americana adotou uma declaração que dizia:
As atividades humanas tornaram-se uma fonte destacada de mudanças ambientais.
Muito urgente é [considerar] as conseqüências da abundância crescente de gases de estufa na atmosfera... Como os gases de estufa continuam aumentando, estamos, na realidade, realizando uma experiência climática global, que não foi planejada nem é controlada, cujos resultados poderão apresentar desafios sem precedentes ao que conhecemos e prevemos.
Eles também poderão ter impacto significativo sobre nossos sistemas naturais e sociais. Trata-se de um problema de longo prazo que requer uma perspectiva de longo prazo. Importantes decisões aguardam os atuais e futuros líderes nacionais e mundiais.
Manifestações para salvar o planeta têm sido realizadas ao redor do mundo. Em Londres, um evento organizado pela “Stop Climate Chaos” exigiu que o governo aja contra a ameaça do aquecimento global.
O primeiro-ministro inglês Tony Blair declarou que se trata “do mais importante relatório sobre o futuro publicado pelo meu governo”. Angela Merkel, a chanceler da Alemanha, disse-lhe que enfrentar a questão das mudanças climáticas será uma prioridade para a presidência alemã do G8 (grupo das nações industrializadas) em 2007.
A secretária do Exterior do Reino Unido, Margaret Beckett, disse num encontro em Nova Delhi que o subcontinente indiano poderá enfrentar uma combinação de secas e elevações do nível do mar – que devastarão as colheitas de cereais e forçarão milhões a fugir dos seus lares – como resultado da elevação das temperaturas globais.


2. ‑O aquecimento global é real mas pode ser causado pelo sol


Uma minoria de cientistas está afirmando que as mudanças climáticas, tais como o aquecimento global, são causados por alterações no sol e não devido à liberação de gases de estufa na Terra. O sol fornece toda a energia que movimenta nosso clima, mas ele não é a estrela constante que pode parecer. Estudos cuidadosos durante os últimos vinte anos mostram que seu brilho geral e a energia desprendida aumentam levemente à medida que sobe a atividade das manchas solares até seu ponto mais alto em um ciclo de onze anos. Atualmente, o sol se encontra no ponto mais alto de atividade em 300 anos. Esse ciclo poderá ser seguido por um esfriamento e uma mini era do gelo.


3. O aquecimento global é um engano


Há aqueles que são ainda mais céticos nessa questão. Christopher Monckton escreveu um artigo intitulado “Caos climático? Não acredite” no jornal britânico The Sunday Telegraph em que começou sugerindo que “o pânico provocado em torno das mudanças climáticas é menos relacionado com a intenção de salvar o planeta do que com a ‘criação de um governo mundial’, conforme a preocupante afirmação de Jacques Chirac”.
Ele apresenta evidências, mostrando como a ONU falsificou informações acerca do problema através da sua agência, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (PIMC). Monckton cita David Deming, um geocientista da Universidade de Oklahoma (EUA), que escreveu um artigo avaliando as temperaturas na América do Norte através de dados de perfurações. Isso lhe deu credibilidade com o PIMC, que lhe pediu que participasse de suas pesquisas. Deming afirma: “Eles pensaram que eu era um deles, alguém que iria perverter a ciência a serviço de causas sociais ou políticas. Um deles abaixou a guarda: um destacado pesquisador na área do aquecimento global enviou-me um surpreendente e-mail, que dizia: ‘temos que nos livrar do período de calor da Idade Média”’.
O período de calor da Idade Média é um fato bem documentado da história, mostrando que na época as temperaturas eram em torno de 3°C mais elevadas do que atualmente. De acordo com o artigo de Monckton:
Então não havia geleiras nos Andes ; hoje elas existem. Havia fazendas dos vikings na Groenlândia; hoje elas estão cobertas de gelo permanente. Havia pouco gelo no Polo Norte, uma esquadra chinesa circunavegou o Ártico em 1421 e não o encontrou. Dados de 6.000 perfurações em todo o mundo indicam que as temperaturas globais eram mais elevadas na Idade Média do que agora.
Após esse período, as temperaturas caíram bem abaixo dos níveis atuais. Nos séculos XVII e XVIII ocorreu a “Pequena Era do Gelo”, quando o Tâmisa, junto à ponte de Londres, congelou de maneira tão sólida que uma Feira de Inverno foi realizada em 1607 com um conjunto de tendas sobre o próprio rio, oferecendo uma série de diversões, inclusive boliche sobre o gelo.
O relatório original do PIMC, publicado em 1996, apresentava um gráfico dos últimos mil anos, mostrando corretamente que as temperaturas na Idade Média tinham sidos mais altas que as atuais. Mas o relatório de 2001 continha um novo gráfico sem qualquer indicação de um período de calor medieval, indicando temperaturas uniformes até o começo da Era Industrial. Esse gráfico mostrava incorretamente que o século XX foi o mais quente dos últimos mil anos. Essa informação mostra que a história está sendo deliberadamente falsificada por uma agência da ONU.
Aquecimento global e governo mundial
Também é possível que haja um elemento de verdade em todas as três possibilidades. O aquecimento global pode ser causado parcialmente pela atividade humana e em parte pelo sol.
Com certeza, ele está sendo usado para promover a idéia de que a governança mundial apoiada pe la ONU é a solução do problema.
Quer seja real ou não, trata-se de uma questão ideal para unir as nações.
É possível argumentar que nenhuma nação por si mesma pode resolver o problema e que, se ele não for solucionado, todos morreremos.
É necessário que as nações trabalhem juntas para evitar isso.
A ameaça também pode ser usada para dar aos governos desculpas para impor impostos mais elevados e exercer maior controle sobre a população...
Em seu artigo, Christopher Monckton referiu-se a uma afirmação do ex-presidente francês, Jacques Chirac, que relacionou a preocupação ambiental com um plano de governo mundial.
Chirac escreveu um artigo para a revista New Scientist (19/5/05) sobre a necessidade de cuidar do meio ambiente, dizendo: “esse esforço deveria concentrar-se em estabelecer a governança ambiental global, algo que a França defende incansavelmente, em particular com sua proposta de criar uma organização ambiental da ONU, que será discutida pelos líderes mundiais na cúpula da ONU em Nova York em setembro”.
Em um discurso anterior no Encontro da ONU sobre Mudanças Climáticas em Haia (20/11/2000), ele afirmou: “Pela primeira vez, a humanidade está instituindo um que a França e a União Européia gostariam de ver criada”. (ênfase do autor).
É interessante que existe agora um consenso de opiniões sobre essa questão, favorecendo a agenda verde, nos três principais partidos do Reino Unido.
Esse consenso é compartilhado pelos poderes que dominam a União Européia.
Com os Democratas em ascensão nos EUA, é provável que as questões ambientais serão mais importantes que a “Guerra ao Terror”.
Se a Rússia, a China, o Japão e a Índia puderem ser persuadidos a participar, a pressão para impor algum tipo de solução global para o problema poderá ser irresistível para o resto do mundo.


O meio ambiente – uma questão espiritual


Também é interessante que existe uma idéia semi-religiosa relacionada a tudo isso – a controvertida Teoria Gaia, denominada assim por causa da deusa da Terra dos antigos gregos.
Essa teoria foi desenvolvida pelo cientista britânico James Lovelock durante a década de 1960, enquanto ele trabalhava no Projeto Viking, analisando a possibilidade de vida em Marte. Enquanto analisava o que sustinha a vida na Terra e observava a atmosfera terrestre, com seu delicado equilíbrio de oxigênio, hidrogênio, nitrogênio, metano e resquícios de outros elementos, ele teve a idéia de que a Terra era um todo vivo e interdependente, capaz de controlar a si mesmo e de eliminar ameaças, da mesma maneira que um corpo lida com doenças e traumas.
De acordo com essa idéia, a Terra é um sistema vivo imenso e eternamente interativo – um planeta vivo, flutuando no espaço, e cada parte do seu grandioso mecanismo afeta todos os outros, tanto para o bem como para o mal.
A Terra teria certos órgãos especialmente importantes, como as florestas tropicais e os pântanos, que seriam mais importantes para o meio ambiente do que outras partes do sistema. Usando a comparação com o corpo humano, seria possível perder uma parte menor, como um dedo, e sobreviver, mas se você perder uma parte essencial, como os pulmões, você está morto. Desse modo, a Terra poderia sobreviver apesar de perder algumas espécies animais em virtude do descuido humano com o meio ambiente, mas se um órgão vital estiver ameaçado ela teria de reagir contra a interferência humana ou morrer.
Em certos grupos do movimento ambientalista está sendo difundida a idéia de que as catástrofes que atingem a Terra são o resultado de Gaia alertando a humanidade, para que esta pare de destruir o único planeta em que podemos viver. Em outras palavras, Gaia poderá agir para trazer uma espécie de juízo sobre a humanidade por descuidar do planeta. De acordo com essa visão, as catástrofes são a maneira da Terra combater a degradação do planeta por parte da humanidade. Isso conduz à visão da Nova Era de que devemos retornar à unidade com o planeta e com os outros seres humanos para salvar o planeta.


A Bíblia ensina um conceito diferente: que o Deus Todo-Poderoso, que criou a Terra e deu à humanidade a tarefa de cuidar dela, está falando através desses eventos, que Ele até predisse há séculos por meio dos profetas e do Senhor Jesus.
É verdade que a Terra é um todo interdependente, que foi criado por Deus como “muito bom” (veja Gênesis 1.31).
Tudo que é necessário para a vida é mantido em delicado equilíbrio no único planeta em que podemos viver. A distância da Terra até o Sol, a atmosfera, o ciclo das águas, a camada de solo para plantio, tudo está exatamente certo para sustentar a vida.
A idéia evolucionária de que tudo se originou através de um acidente cósmico é tão provável como a possibilidade de que o computador em que estou escrevendo este artigo é o resultado de átomos que se juntaram ao acaso.
Um projeto exige a existência de um projetista e a criação exige um Criador. Há abundantes evidências, para aqueles que querem entender, de que Deus, como Criador, e não a evolução pelo acaso, tem a resposta para a pergunta donde viemos.
Conforme o relato do Gênesis, a humanidade teria “domínio” sobre a Terra, não no sentido de saqueá-la, mas de cuidar dela e das suas criaturas (Gênesis 1.26-28, Salmo 8), em harmonia com Deus, nosso Criador.
Porém, a desobediência humana a Deus causou a degradação da Terra, inicialmente com a queda (Gênesis 3) e depois com o dilúvio (Gênesis 6-8), estragando a criação original “muita boa”.
Quando vamos para o outro extremo da escala de tempo bíblica e analisamos os eventos do fim dos tempos, fica claro que as catástrofes afetando a Terra irão aumentar nos dias finais desta era. Jesus disse a respeito dos tempos anteriores à Sua Segunda Vinda: haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais do céu... Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; sobre a terra, angústia entre as nações em perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas; haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo; pois os poderes dos céus serão abalados” (Lucas 21.11,25-26).
Tempestades tropicais que provocam ondas gigantescas e devastam regiões costeiras estão aumentando em ferocidade, algo que muitos cientistas estão relacionando com as mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global.
Em Isaías 24 há uma passagem apocalíptica que trata da destruição causada por eventos impressionantes nos últimos dias desta era, quando cidades serão devastadas e seus habitantes espalhados: Na verdade, a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, violam os estatutos e quebram a aliança eterna” (Isaías 24.5).
É interessante que Isaías 24.16 também se refere aos “pérfidos” que “tratam mui perfidamente”. Isso estabelece uma relação entre a questão ambiental e os que a utilizam para objetivos pérfidos (isto é, o governo mundial do Anticristo).
As profecias da Bíblia advertem que no futuro haverá um tempo de dificuldades, com intenso calor, vegetação queimada e águas contaminadas, como também violentas tempestades e desastres naturais, trazendo fomes, epidemias e morte: (Apocalipse 8.7-11).
O Apocalipse fala de um tempo em que o quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe dado queimar os homens com fogo...” (Apocalipse 16.8).
Depois, Derramou o sexto a sua taça sobre o grande rio Eufrates, cujas águas secaram...” (Apocalipse 16.12) e sobrevieram relâmpagos, vozes e trovões, e ocorreu grande terremoto, como nunca houve igual desde que há gente sobre a terra; tal foi o terremoto, forte e grande” (Apocalipse 16.18).
Qualquer que seja a verdade sobre o aquecimento global, trata-se de uma questão que tem o potencial de levar o mundo em direção ao governo mundial profetizado em Apocalipse 13. Aquele que apresentar uma solução para esse problema certamente será saudado como salvador que oferecerá “paz e segurança” e será adorado pelo mundo como o novo messias.
Longe de solucionar o problema, o governo mundial anticristão dos tempos finais conduzirá o mundo às margens da destruição.
Somente o retorno do Senhor Jesus Cristo salvará a Terra. Após Sua volta, ela será miraculosamente restaurada e voltará a ser um lugar fértil e belo, capaz de suprir as necessidades dos povos durante o reino milenar de Jesus, quando ...a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar” (Isaías 11.9). 

(Tony Pearce, Light for The Last Days - http://www.chamada.com.br)

sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

O PLANO DAS SEIS ETAPAS PARA A MUDANÇA DO COMPORTAMENTO

Você achará difícil acreditar em quanto sua vida diária está sendo manipulada, mas após compreender como isto está sendo realizado, poderá tomar as medidas para reduzir ou eliminar os efeitos.
O Plano das Seis Etapas Para a Mudança do Comportamento oferece aos planejadores da Nova Ordem Mundial a capacidade de silenciosa e quase invisivelmente modificar as atitudes e o sistema de valores de toda a sociedade.
Eles precisam disso para colocar em cena o Anticristo.
Aprenda a proteger as pessoas a quem ama.
Como as pessoas reagiriam se soubessem quantas vezes estão sendo secreta e invisivelmente bombardeadas com estímulos - com histórias, debates, com muitas circunstâncias, muitas das quais foram deliberadamente criadas ou iniciadas?
Como as pessoas reagiriam se realmente compreendessem que não são sua "própria pessoa", apesar do fervoroso desejo de ser justamente isso?
Essas pessoas se sentiriam violadas - mental e fisicamente estupradas - e ficariam muito furiosas!
É por isso que tanto esforço é dispendido para fazer as pessoas acreditar que as imagens subliminares não existem e não funcionariam se existissem. É por esse motivo que a mídia esforça-se para vender a imagem de "integridade" e "honestidade" com os ouvintes, para que eles não acreditem que seu canal favorito possa afetá-los adversamente de qualquer forma.
No entanto, a mídia está arruinando sua vida.
Essa molestação não é sexual; é mental, emocional e, acima de tudo, espiritual.
Antes, porém, vamos listar as seis etapas deste Plano para a Mudança do Comportamento.
Plano das Seis Etapas Para a Mudança do Comportamento
Etapa 1. Alguma prática tão ofensiva que nem deveria ser discutida em público é defendida por um especialista RESPEITADO em um fórum RESPEITÁVEL.
Etapa 2. A princípio, o público fica chocado, depois indignado.
Etapa 3. No entanto, o SIMLES FATO que tal coisa tenha sido debatida publicamente torna-se o ASSUNTO do debate.
Etapa 4. No processo, a repetição prolongada do assunto chocante em discussão gradualmente vai anulando seu efeito.
Etapa 5. As pessoas não ficam mais chocadas com o assunto.
Etapa 6. Não mais indignadas, as pessoas começam a debater posições para moderar o extremo, ou aceitam a premissa, procurando, os modos de ATINGI-LA.
Este método insidioso de modificar o comportamento profundamente arraigado das pessoas está sendo direcionado com sucesso aos povos do mundo ocidental. Milhões de pessoas estão experimentando mudanças de comportamento em uma ampla variedade de assuntos hoje em dia. Essa mudança de comportamento é essencial para alcançar a Nova Ordem Mundial
Exemplos Atualmente em Ação
1) Controle Populacional por Meio da Morte: O objetivo da Nova Ordem Mundial é reduzir a população total do planeta em dois terços nos próximos anos. À medida que nos aproximamos da implementação dessa Nova Ordem, as mentes das pessoas precisam ser ´voluntariamente´mudadas para aceitar as medidas para a redução da população que serão implementadas, pois essas medidas serão amplamente utilizadas pelas forças do Anticristo assim que ele assumir seu papel, de modo a reduzir drasticamente a população mundial.
a) Suícidio/Eutanásia
Foi um golpe de mestre conceber uma campanha para convencer as pessoas a se matar a si próprias para o benefício da sociedade e fazê-las pensar que é uma boa idéia! Grande nobreza está sendo dada a atitude desses pobres peões (digo, pessoas) que estão sendo convencidas que é seu "direito" morrer com dignidade e "controlar" sua hora final. O que aconteceu com o ideal cristão de abrir mão de seus direitos, exatamente como Jesus Cristo abriu mão do seu e veio morrer por nós [Filipenses 2:4-8]? O que aconteceu com o ideal cristão que fomos criados à imagem e semelhança de Deus [Gênesis 1:26], um ato de criação que outorga grande dignidade e valor ao ser humano? E o que aconteceu ao ideal cristão que Deus está controlando nossas vidas e nossa eternidade? O que aconteceu ao ideal cristão de que Deus controla nossas vidas e a hora da nossa morte? Ou que podemos confiar nele e no seu plano para nós?
b) Aborto
A sociedade americana está claramente na Etapa 6 aqui, com mais de 1,5 milhão de bebês assinados anualmente no útero de suas mães.
Nunca devemos contemporizar; a contemporização abre a porta para uma derrota posterior.
Um palavra final sobre o aborto. Perguntei ao ex-satanista e ex-praticante de magia negra Doc Marquis, agora um cristão nascido de novo, como os satanistas encaram o aborto. Para os satanistas, o sacrifício humano é o maior sacrifício que podem ofertar a Satanás e quanto mais jovem for a vítima, mais precioso e mais poderoso é o sacrifício.
Em 1986, o programa documentário 20-20 da TV mostrou um bloco sobre satanismo nos EUA nos dias atuais. Uma das cenas do bloco mostrou mulheres satanistas que estavam grávidas. Elas disseram que engravidaram com o propósito expresso de sacrificar seus bebês a Satanás.
Isso não me surpreendeu, pois já tomara conhecimento dessa prática em minhas pesquisas sobre o ocultismo. Perguntei então a Doc, "Se um sacrifício aumenta em poder e preciosidade quanto mais jovem for a vítima, como um satanista vê os bebês abortados? Ele me encarou seriamente e disse, "Os satanistas vêem os bebês abortados como o sacrifício humano mais poderoso que é possível oferecer."
c) Infanticídio
Embora o infanticídio ainda seja em grande parte ocultado do público, ainda é praticado nos EUA, em um nível que o deixaria chocado.
d) Preparação para a Destruição da África
Nas duas últimas duas décadas, fomos bombardeados com imagens de milhões de negros africanos morrendo de fome. Vá fizeram tantas campanhas para a arrecadação de alimentos para os países africanos que já estamos cansados de colaborar. As pessoas perguntam, "Afinal, o que há de errado com aquelas pessoas? Nunca aprenderão a se alimentar e autogovernar?" Na Nova Ordem Mundial, o negros estarão marcados para a destruição. As únicas raças que terão a permissão de entrar no estágio final dessa Nova Ordem Mundial são as raças européias e os chineses. Todos os demais estão marcados para extinção. Qual o melhor modo de convencer o mundo ocidental da inutilidade da raça negra que nos convencer do total incapacidade dos povos africanos? A campanha está em marcha agora e é ajudada por toda nova revelação de problemas insolúveis na África, de fome crônica a doenças, ignorância, e assim por diante.
e) Transplante de Órgãos
Em um breve resumo, a proposição da Nova Era sobre os transplantes de órgãos é muito simples: eles querem viver indefinidamente. Até que a medicina consiga "resolver" o ´problema´ da morte física, o único modo concebível de viver indefinidamente são os Transplantes de Órgãos. Assim, a pesquisa médica, que opera com verbas gigantescas concedidas pelos governos e por empresas privadas, derrama milhões de dólares na pesquisa sobre os transplantes. O sucesso tem sido fenomenal, e muitas pessoas estão vivas hoje por causa deste recurso recente da medicina.
No entanto, o sucesso tem um preço. Este procedimento tornou-se tão popular, tão amplamente utilizado, que, hoje, há uma demanda muito maior por órgãos humanos para transplantes do que doadores disponíveis. Esta situação acarretou uma grande elevação no preço dos órgãos. E alguns órgãos parecem muito difíceis de se obter.
Trabalhando em segredo, os médicos de muitos hospitais estão literalmente declarando que suas vítimas estão com morte cerebral ou algum outro tipo de 'morte' e estão literalmente colhendo seus órgãos.
f) Coleta de Tecidos Fetais
Usar os corpos de bebês abortados para a pesquisa médica é outro desenvolvimento satânico e do tipo nazista. Embora os cristãos considerem o aborto um ato totalmente repugnante e satânico, ficamos ainda mais revoltados quando consideramos o uso desses corpos como recursos médicos!
Leia e chore! [Apocalipse 18:1-6]
Sabemos, estudando as profecias de Daniel, que logo após a ascensão do Anticristo, tomando o controle do mundo por meio de uma Confederação de 10 Supernações, ele destruirá completamente três dessas dez originais. Acreditamos que os EUA serão uma dessas três nações que serão totalmente aniquiladas.
g) Canibalismo
O povo americano está sendo condicionado a aceitar a idéia de comer carne humana, canibalismo!
Depois, há alguns anos, o filme "O Silêncio dos Inocentes" serviu como veículo de condicionamento sobre o consumo de carne humana. O Dr. James Dobson, famoso psicólogo cristão norte-americano, em seu programa de rádio 'Focus On The Family', informou que o canibalismo estava recebendo muita atenção na indústria da pornografia.
Somos os novos canibais! Alguém ainda não acredita na natureza satânica da vindoura Nova Ordem Mundial?                                         2) Controle Populacional por Meio de Conflitos - Promovendo Conflitos Entre Homens e Mulheres
a) Movimento Feminista Atual
Acreditamos que o controle populacional esteja sendo patrocinado atualmente pelo movimento feminista radical. No entanto, essa não é nossa idéia original. O Dr. Wolf Wolfensberger, professor titular na Universidade Syracuse, na Divisão de Educação Especial e Reabilitação escreveu sobre esse conceito em seu livro The New Genocide of Handicapped And Afflicted People. Certamente, se você deliberadamente promover o conflito em homens e mulheres, pode atingir vários objetivos desejados por qualquer satanista, e que contribuem para objetivo deles de limitar radicalmente o crescimento populacional no mundo industrializado nestes tempos que antecedem a Nova Ordem Mundial.
1) Se os homens e as mulheres estiverem brigando um contra o outro, e não tiverem confiança um no outro, haverá um número menor de casamentos e menor ligação sexual. Ambas as possibilidades limitarão o número ode filhos que nascerão. Quantas mulheres quererão se casar se o homem típico é o estereótipo criado e mostrado nas comédias de situação?
2) Se os casamentos que já existem puderem ser desestabilizados e até rompidos, o número de filhos será reduzido. A sociedade como um todo também fica desestabilizada, outro objetivo importante do Plano.
Entre os mais ferozes defensores do aborto hoje estão as feministas radicais. O controle da população e a desestabilização da nossa sociedade atual são dois dos principais objetivos do movimento feminista radical. Quem teria imaginado que esse movimento colaboraria com os planos da Nova Ordem Mundial?
3) Insensibilização dos Indivíduos, Homens e Mulheres
Há vários anos que advertimos que os planejadores da Nova Ordem Mundial enfrentam a mesma dificuldade que Hitler enfrentou quando se preparava para iniciar a matança de 18 milhões de pessoas, incluindo 6 milhões de judeus. Ele precisava de homens jovens que estivessem dispostos a "puxar o gatilho". Se os rapazes e moças alemães não estivessem dispostos a participar no Holocausto, Hitler não teria condições de executá-lo. No entanto, para a satisfação de Hitler, muitos rapazes tinham sido dessensibilizados, emocionalmente embrutecidos, por meio de vários elementos na sociedade alemã antes da ascensão de Hitler ao poder, que a mão-de-obra para puxar o gatilho era na verdade abundante.
As necessidades dos planejadores da Nova Ordem Mundial são idênticas em natureza, mas muito maiores em abrangência. Enquanto Hitler precisou de mão-de-obra da matar seus 18 milhões, os planejadores da Nova Ordem Mundial precisam de mão-de-obra para mater 4 bilhões de pessoas.
Quais são os elementos na nossa sociedade que podem estar embrutecendo as mentes e as emoções da nossa juventude? Quais são os elementos comuns que alcançam todo país, de norte a sul, de leste a oeste e que possam manipular a população juvenil? Logicamente, nossa mídia de massa: TV, rádios, revistas, jornais, computadores, para citar apenas alguns. Você vê algo nessas mídias que possa embrutecer nossa juventude, que possa dessensibilizá-la?
A. Televisão
1) Desenhos Animados - provavelmente a mais violenta de todas as programações e que está dessensibilizando as crianças, que são jovens demais para conseguiren distingüir realidade de fantasia. Sabe-se que as crianças que assistem muitas horas de desenhos animados passam a reagir de forma violenta com as outras crianças.
2) Programas de Violência mostram "ações" de violência, e mais violência e violência gratuita. Não há dúvida que a Bíblia condena esse tipo de programa.
* Em 2 Coríntios 13:11, Paulo diz: "Quanto ao mais, irmãos, adeus! Aperfeiçoai-vos, consolai-vos, sede do mesmo parecer, vivei em paz, e o Deus de amor de de paz estará convosco." Deus quer que "vivamos na paz".
* Em Filipenses 4:8, o apóstolo Paulo nos adverte a vigiar o que entra na nossa mente: "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento."
É possível ver alguma "virtude" nesses programas violentos? Pais, é hora de proibir que suas crianças - mas especialmente as crianças mais vulneráveis, seus meninos - assistiam a esse tipo de progamação. Você está insensibilizando seus filhos! Você os está entregando diretamente nas mãos dos planejadores da Nova Ordem Mundial. Você gostaria de saber, possivelmente no Tribunal de Contas de Cristo, que seu amado filho foi um dos matadores no exército do Anticristo? Muitos pais alemães, pessoas decentes e cristãs descobriram essa horrível verdade sobre seus filhos após o término da Segunda Guerra Mundial. Não permita que isso aconteça com você.


quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

O Plano P.E.A.C.E. e os Objetivos do Milênio da ONU - Parte 1



OS OBJETIVOS DO MILÊNIO









Quem discordaria destes oito elevados objetivos:





1. Erradicar a extrema pobreza e a fome.
2. Alcançar a educação primária básica
3. Promover a igualdade entre os sexos e capacitar as mulheres
4. Reduzir a mortalidade infantil
5. Melhorar a saúde das mães e das gestantes
6. Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças
7. Assegurar a sustentabilidade ambiental
8. Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. [8]
Como muitos outros documentos da ONU, os Objetivos do Milênio soam gentis e compassivos.
Eles têm o propósito de apelar aos nobres instintos e aos corações compassivos - e realmente conseguem isso!
É por essa razão que países, empresas, organizações e igrejas estão aderindo a essa campanha global.
Obviamente, existe mais nesta lista do que palavras aprazíveis aos ouvidos.
A visão motivacional de um sistema de bem-estar mundial pode ter capturado os corações em todo o mundo, mas ela na verdade serve aos objetivos grandiosos dos agentes socialistas de mudança que têm pouca preocupação pelo sofrimento humano.
Todavia, nem um outro programa vinculou mais eficientemente a igreja evangélica ao sistema gerencial da ONU, que, desde sua origem, declarou guerra à verdade e aos valores bíblicos. [9]
E nem um outro programa mais eficientemente atraiu os cristãos a um processo destinado a manipular as massas, a solapar os valores tradicionais, a silenciar os resistentes, a sintetizar as crenças, a trocar o pensamento individual pelo pensamento coletivo, e a treinar os cidadãos globais para servirem "ao todo maior". (ANTICRISTO) [10]

Parte 1: A "Igreja" Global Emergente
       Um evangelho aguado, sem a verdade bíblica ofensiva e focado na dignidade do homem, em vez de na justiça de Deus, encaixa-se perfeitamente bem com a visão da UNESCO em sua Declaração Sobre o Papel da Religião na Promoção de uma Cultura de Paz.
"A primeira Reforma esteve relacionada com as crenças. A Reforma de agora precisa estar relacionada com o comportamento... Já tivemos uma Reforma, o que precisamos agora é de uma transformação." [1] Rick Warren.
"A transição... para uma cultura de paz é um processo de transformação individual, coletiva e institucional." [2] Programa Cultura da Paz, da UNESCO.
"A cidadania para o próximo século é aprendizado para vivermos juntos. A cidade do século 21 será uma cidade de solidariedade social... Temos de redefinir as palavras... e escrever um novo contrato social." Federico Mayor, ex-presidente da UNESCO.
       "Um mar de mudança de transições e transformações está gerando um novo mundo", escreveu o Dr. Leonard Sweet, cujos livros são freqüentemente citados no Ministry Toolbox, de Rick Warren. "Deus está produzindo o maior despertamento espiritual na história da igreja... Você irá comparecer?" [4].
       Se você ama a verdade, pode querer dizer não!
       Pois em seu livro, Soul Tsunami, o Dr. Sweet, um líder famoso na Igreja Emergente, nos diz para fluirmos com as correntes da mudança e deixarmos o imutável evangelho de Deus para trás. "A cultura pós-moderna é um mundo do tipo 'mude ou seja mudado'", ele continua. "Reinvente-se para o século 21, ou morra. Alguns preferirão morrer a mudar." [4].
       Será se Rick Warren concordaProvavelmente sim, pois ele escreveu este efusivo endosso para a capa frontal do livro de Sweet: "Soul Tsunami nos mostra por que estes são os melhores dias para evangelismo desde o primeiro século!".
       Que tipo de evangelismo Rick Warren tem em vista? Seria um evangelismo baseado na Palavra de Deus, ou em "boas" obras? Aparentemente, o último. Em um mundo que trocou os absolutos bíblicos por valores mutáveis e experiências de sentir-se bem consigo mesmo, as verdades divisivas de Deus enfrentam uma crescente onda de hostilidade. Mas poucos argumentarão contra ajudar os pobres e os enfermos. Talvez seja por isso que o pastor Warren repita sempre esta frase: "A primeira Reforma esteve relacionada com as crenças; esta estará relacionada com comportamento." [5].
       O novo foco está na unidade — uma unicidade em escala mundial refletida na crescente união entre o Oriente e o Ocidente. O livro on-line de Leonard Sweet, Quantum Spirituality, lança uma luz reveladora sobre a "igreja" global planejada para o século 21. Na visão dele, a ofensa da cruz foi substituída por uma paixão por paz interfé e por pensamento de possibilidade Para ilustrar esse ponto, o Dr. Sweet cita Thomas Merton, o famoso autor católico que popularizou o misticismo e morreu na Ásia pesquisando as profundezas do budismo tibetano. 'Já somos um. Mas imaginamos que não somos. E o que temos de recuperar é nossa unidade original.'" [6].
       Buscando essa solidariedade ilusória, os líderes da igreja orientada para o sucesso de hoje estão correndo para a era pós-moderna da "verdade" flexível e os prazeres relacionais. Sem estarem limitados por qualquer âncora sólida na Palavra imutável de Deus, eles avançam — de mãos dadas com o mundo — em direção a um futuro imaginado, alcançável por meio de práticas há muito tempo escondidas nas sociedades secretas e nas religiões orientais. Essas práticas incluem os rituais meditativos, a síntese dialética e o pensamento sistêmico. Acrescente aprendizado por meio de serviço comunitário às duas últimas e você terá as estratégias transformacionais testadas primeiro pelostiranos comunistas, e depois incorporadas ao sistema educacional da ONU e dos EUA, que intencionalmente solaparam o aprendizado factual e racional e estabeleceram os modos pós-modernos de pensamento. [7].
       Precisamos compreender essa impressionante revolução mundial — e as sutis contemporizações causadas pelas alianças 'cristãs' pragmáticas atuais.
       Portanto, os dois próximos artigos nesta série examinarão mais de perto a manipulação social que está por trás do "serviço comunitário" e "aprendizado por toda a vida" — dois programas dirigidos por padrões globais, avaliações e correções contínuas. Enquanto isso, você pode encontrar informações úteis de pano de fundo nas seguintes páginas:
       Mas, primeiro, vamos examinar o celebrado Plano P.E.A.C.E, de Rick Warren, e seus vínculos com as Nações Unidas.
       Como muitos outros documentos da ONU, os Objetivos do Milênio soam gentis e compassivos. Eles têm o propósito de apelar aos nobres instintos e aos corações compassivos — e realmente conseguem isso! É por essa razão que países, empresas, organizações e igrejas estão aderindo a essa campanha global. Quem discordaria destes oito elevados objetivos:
1.  Erradicar a extrema pobreza e a fome.
2.  Alcançar a educação primária básica.
3.  Promover a igualdade entre os sexos e capacitar as mulheres.
4.  Reduzir a mortalidade infantil.
5.  Melhorar a saúde das mães e das gestantes.
6.  Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças.
7.  Assegurar a sustentabilidade ambiental.
8.  Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. [8].
       Obviamente, existe mais nesta lista do que palavras aprazíveis aos ouvidos. A visão motivacional de um sistema de bem-estar mundial pode ter capturado os corações em todo o mundo, mas ela na verdade serve aos objetivos grandiosos dos agentes socialistas de mudança que têm pouca preocupação pelo sofrimento humano. (Basta olhar como os líderes do governo americano estão tratando as vítimas do furacão Katrina.) Todavia, nenhum outro programa vinculou mais eficientemente a igreja evangélica ao sistema gerencial da ONU, que, desde sua origem, declarou guerra à verdade e aos valores bíblicos. [9] E nenhum outro programa mais eficientemente atraiu os cristãos a um processo destinado a manipular as massas, a solapar os valores tradicionais, a silenciar os resistentes, a sintetizar as crenças, a trocar o pensamento individual pelo pensamento coletivo, e a treinar os cidadãos globais para servirem "ao todo maior". [10].
       Uma entrevista intitulada 'Pastor Warren Delineia Sua Visão Global", sumariza partes desse plano:
       Pergunta: seu livro é um mega-sucesso de vendas e a Igreja de Saddleback tem um rol com 82.000 membros. O que virá em seguida?
       Warren: 'No século 21 vamos nos tornar globais e mobilizar a igreja americana para ajudar internacionalmente... O presidente Kagame nos receberá em Ruanda para um projeto conjunto entre o governo, as empresas e a igreja...
       Pergunta: como a Igreja de Saddleback lidará com esses imensos problemas?
       Warren: com nosso plano PEACE... P é para plantar uma igreja ou parceria com uma igreja existente em cada aldeia. Trabalharemos com qualquer um que queira ajudar. Trabalharei com um ateísta que queira enfrentar a AIDS. E — equipar os líderes locais. A — Assistir aos pobres. C — Cuidar dos enfermos. E — Educar para a próxima geração...
       Pergunta: qual é sua maior esperança com tudo isso?
       Warren: uma segunda Reforma. A primeira esteve relacionada com as crenças. Esta agora estará relacionada com as obras. [11].
       Compare esse celebrado Plano P.E.A.C.E. com os Objetivos do Milênio, da ONU.
       Tenha em mente que tanto as igrejas com propósitos e seus programas de liderança estratégica requerem treinamento em processos de mudança de mentalidade e tecnologias de avaliação que suportam a visão da ONU para o desenvolvimento de recursos humanos em todo o mundo. [12].
O Plano P.E.A.C.E.
Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
1. Plantar igrejas.
# 8. Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. (O treinamento da liderança para as igrejas com propósitos é paralelo com oProcesso DialéticoPensamento sistêmico e desenvolvimento de equipes prescrito por várias agências da ONU envolvidas no desenvolvimento dos recursos humanos.)
2. Equipar líderes que sejam servidores.
#8. Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento. Na verdade, o"aprendizado por toda a vida" tem sido o principal objetivo educacional da UNESCO desde que essa agência da ONU foi criada.
3. Assistir aos pobres.
#1. Erradicar a extrema pobreza e a fome.
4. Cuidar dos enfermos.
#4. Reduzir a mortalidade infantil.

#5. Melhorar a saúde das mães e das gestantes.

#6. Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças.
5. Educar a próxima geração.
#2. Atingir a educação primária básica
Os objetivos implícitos dos Objetivos do Milênio 3 e 7 certamente serão incluídos em cada um dos cinco programas de Rick Warren, especialmente o P, E, A, e E.
#3. Promover a igualdade entre os sexos e capacitar as mulheres.
#7. Garantir a sustentabilidade ambiental.
       Agora, vamos olhar mais de perto cada um dos objetivos do plano P.E.A.C.E.
1. Plantar igrejas — O primeiro ponto parece ser bom. Mas como serão essas novas igrejas plantadas? Serão clones da Igreja de Saddleback, na Califórnia — ou das milhares de outras igrejas que seguem o modelo Propósitos?
Não exatamente. Os agentes de mudança da atualidade adaptarão cuidadosamente suas estratégias transformacionais para cada novo cenário cultural. Mas no centro dessa revolução global veremos os mesmos elementos fundamentais: Gerenciamento da Qualidade Total (TQM), treinamento para o aprendizado psicossocial, promoção de um evangelho positivo (contemporizado) e um Deus permissivo (que não julga e quer que todos se sintam bem consigo mesmos), avaliações contínuas de alta tecnologia e correções, e o processo dialéticooperando por meio dos grupos pequenos sob a liderança de facilitadores.
O campo de missões é todo o mundo. Como diz o pastor Rick Warren:
"Bilhões de pessoas estão sofrendo todos os dias de problemas tão grandes que governo algum pode solucionar... A única coisa grande o suficiente para solucionar os problemas do vazio espiritual, liderança egoísta, pobreza, doença, e ignorância é a rede de milhões de igrejas em todo o mundo..."
"As Escrituras mostram que Jesus compartilhava as boas novas, treinava os líderes, ajudava os pobres, cuidava dos doentes, e ensinava as crianças... Nosso Plano P.E.A.C.E. fará exatamente essas cinco coisas que Jesus fez enquanto esteve aqui no mundo." [13].
Mas a comparação do pastor Warren com Jesus não poderia ser mais enganosa. Jesus nunca usou as estratégias psicossociais ou os sistemas de gerenciamento manipuladores que dirigem a transformação social e espiritual.
O ímpeto inicial de Rick Warren é na África, onde o Plano P.E.A.C.E. se encaixará bem. Ele já tem o pé em Ruanda, onde o genocídio de 1994 contra a minoria tutsi chocou o mundo. Mas, de acordo com a revista Time, o presidente ruandês Paul Kagame não tinha sido amigável ao cristianismo bíblico:
"Kagame tem repetidamente declarado seu desdém pelas organizações religiosas.
Assim, um zunzum ocorreu no Estádio Amahoro, de Kigali, no mês passado quando Kagame permitiu que Rick Warren... colocasse o braço em volta de seus ombros e 'orasse pelo presidente'... Kagame comprometeu seu governo na cooperação em um projeto de auto-suficiência de cinco a sete anos formado por voluntários ruandenses, mas iniciado, assessorado e pelo menos parcialmente financiado pela rede de 'Igrejas com Propósitos', de Rick Warren.' O pastor Warren fala em transformar Ruanda na 'primeiro país com propósitos' do mundo." [14].
Você se pergunta por que um presidente africano anticristão entraria nesse acordo? Kagame respondeu a essa questão quando falou na Igreja de Saddleback, em abril de 2005:
"... eles também nos falaram sobre a visão do plano PEACE... É uma visão com um grande objetivo, que é confrontar os grandes problemas do mundo; mas é prática e simples em estratégia porque é construída com base no uso de pessoas comuns, em vez de na elite. Rick e eu concordamos que cada parceiro — a igreja, o governo e as empresas têm um papel a exercer e somos melhores juntos e mais eficientes quando cooperamos." [15].
"Mais eficientes" de que modo? Em plantar igrejas bíblicas — ou na "Capacidade de Construção" e "desenvolver" pessoas que pensem coletivamente e se encaixem na visão da ONU? Irá a cooperação com "o governo e as empresas" realmente ajudar a estabelecer igrejas cristocêntricas com cristãos fiéis e nascidos de novo que — pela graça de Deus — amam e seguem a Palavra do Senhor? Ou isso irá ajudar a espalhar a contemporização e a enganação? Isso irá agradar a Deus ou ao homem?
Isso irá cumprir aquilo que Rick Warren apresenta como os cinco principais propósitos de Deus para a igreja? Ou poderiam esses propósitos serem todos redefinidos sob o estandarte do crescimento de igrejas, de igreja saudável, e serviço orientado para o sucesso por meio de alianças entre a igreja e o mundo? [16] As parcerias enfrentam problemas quando um parceiro controla o dinheiro ou o poder político. O membro controlador estará em condições de definir as regras e as cláusulas do contrato, forçando os outros membros a se submeterem ou deixarem a parceria.
Na verdade, os cinco propósitos de Rick Warren já foram contemporizados. "Warren apresenta alguns ensinos básicos com relação ao propósito de Deus para glorificar a Si mesmo e o que o homem deve fazer com relação a Deus", escreveu Richard Bennet, em um artigo intitulado The Purpose-Driven Life: Demeaning The Very Nature of God. O fato que nem um desses propósitos é apresentado de um modo biblicamente correto torna a obra de Warren ainda mais perigosa para a verdadeira compreensão de quem é Deus e Seu evangelho em Cristo." [17].
Considere os cinco principais propósitos de Rick Warren a partir de uma perspectiva bíblica:
Adoração. As formas pós-modernas de adoração têm o objetivo de produzir sensações de alegria e emoção humana, não a adoração inspirada pelo Espírito Santo. Elas apontam para um Deus positivo e permissivo que, como os membros de nossa equipe humana — saudará nossa natureza autocentrada e desconsiderará nossos modos profanos. Essas celebrações se chocam com as expressões genuínas de um coração cheio do Espírito que livremente adora nosso santo e maravilhoso Deus sem programas centrados no homem e que produzem emoções. [Veja Igreja Dirigida Pelo Espírito ou Orientada Por Propósitos?].
Comunhão. A "comunhão" com propósitos tende a seguir as diretrizes dialéticas atuais. Elas empurram os membros do grupo em direção à tolerância sem base bíblica e baseada nas emoções, em vez de no compartilhamento baseado em fatos e silenciam com relação aos absolutos bíblicos. Em contraste, a comunhão bíblica ocorre quando nos reunimos com prazer comum na palavra de Deus, em Sua vontade e em Seus caminhos — amando e encorajando uns aos outros com Sua palavra e pelo Seu Espírito.
Discipulado. Os novos sistemas de gerenciamento de igrejas propõem treinamento em submissão e lealdade ao "grupo" e à nova ética social — não a Deus e à Sua palavra. Eles requerem participação em pensamento coletivo e "aprendizado para o serviço" e atividades de construção de equipes de diversão. Eles evitam os caminhos estreitos e as verdades divisivas de Deus e distorcem o chamado de Deus por unidade bíblica em um convite para se juntar ao mundo em sua estrada para a corrupção.
Ministério. A forma e estrutura dos ministérios com propósitos são cada vez mais definidas pelos gurus da administração, avaliação de personalidade, pesquisas na comunidade e apelo ao grupo, não pelo ensino bíblico, nem nos propósitos reais de Deus. Mas a Bíblia mostra que nosso principal foco deve estar na edificação dos fiéis, pregando e ensinando a palavra de Deus e exortando e servindo uns aos outros. Somos chamados para viver e trabalhar juntos pelo Espírito de Deus — não pelo pensamento de grupo e a tolerância politicamente correta. Na verdadeira igreja, todos os membros conhecem e seguem a Jesus Cristo, o Rei de todos!! Ele não é um deus reinventado e aceitável para o mundo, mas o Deus santo e todo-poderoso que Se revelou por meio das Escrituras.
Evangelismo. O evangelho suave e não ofensivo de hoje enfoca o suposto amor apaixonado de Deus pelas pessoas que são naturalmente dignas de receber amor, não em Sua amorosa misericórdia pelos pecadores depravados. (Veja Efésios 2:1-4) Quando os agentes de mudança "cristãos" treinam as massas para "pensarem fora do caixote" da imutável palavra de Deus, eles estão espalhando um falso evangelho e cegando as pessoas para a única verdade que pode nos libertar.
A suposição que "o fim justifica os meios" já cegou uma massa crítica de líderes "cristãos". Muitos não percebem que o "fim" prometido é meramente uma ilusão. Treinados para aceitar um evangelho contemporizado, eles o espalham para um mundo que quer compartilhar das bênçãos de Deus, mas sem a convicção do pecado e sem o genuíno arrependimento. As massas pagãs estão mais do que dispostas a aderir a um evangelho expurgado de suas partes ofensivas ao mundo.
Essa reforma radical torna-se ainda mais preocupante quando os líderes de igreja, como Rick Warren, dão as mãos para Bono (vocalista da banda de Rock U2), a atriz declaradamente lésbica Ellen DeGeneres, e outros apoiadores da ONU em sua cruzada evangelística e guerra contra a pobreza. Como esses nobres ideais se encaixam bem nos esforços das Nações Unidas de 'desenvolver' as nações, treinar os recursos humanos, construir capital social e estabelecer seu sistema de gestão global, não podemos ignorar sua filosofia básica.
Além do mais, o "evangelho" social e suave de hoje conforma-se facilmente às diretrizes da UNESCO para a religião na Nova Ordem Internacional. Lembre-se das palavras do pastor Warren: "A primeira Reforma esteve relacionada com as crenças; a de agora estará relacionada com as obras." [11].
Tudo faz sentido. O verdadeiro evangelho ofende as pessoas. Ele nos lembra que somos criaturas caídas em servidão ao pecado e distantes de Deus. É por isso que a palavra de Deus nos diz que "somos a boa fragrância de Cristo" [2 Coríntios 2:14]. Ela nos lembra a não esperarmos popularidade no mundo quando formos fiéis à palavra de Deus! Em vez disso, somos chamados para seguirmos em Seu caminho estreito e difícil, não importa o preço que tenhamos de pagar:
"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou." [João 15:18-21].
Em contraste, as obras humanitárias ganharão o aplauso do mundo. Assim também um evangelho caiado, "purificado" de sua verdade ofensiva e enfocado na dignidade do homem, em vez de na justiça de Deus. 
Esse novo evangelho encaixa-se bem na visão da UNESCO (Organização Cultural, Científica e Educacional das Nações Unidas), conforme resumido em sua Declaração do Papel da Religião na Promoção de uma Cultura da Paz. Observe que ela usa os erros cometidos pelo cristianismo falso ou cultural, para justificar suas críticas ao cristianismo genuíno e pressionar todas as religiões a aceitarem suas diretrizes para o serviço global em sua Nova Ordem Internacional:
1. ... Somos todos interdependentes e compartilhamos uma responsabilidade inescapável para o bem-estar de todo o mundo.
2. Enfrentamos uma crise que pode produzir o suicídio da espécie humana, ou nos levar a um novo despertar e uma nova esperança. Sabemos que a religião... tem um papel indispensável a exercer...
6. As religiões têm... levado à divisão, ao ódio e à guerra. As pessoas religiosas têm freqüentemente traído os elevados ideais que elas próprias pregaram.
8. A paz envolve que compreendamos que somos todos interdependentes... responsáveis coletivamente para o bem comum.
11. Precisamos... cultivar uma espiritualidade que se manifeste em ação...
13. Comprometemo-nos a... garantir uma educação verdadeiramente humana para todos. Enfatizamos a educação para a paz, para a liberdade, para os direitos humanos, e educação religiosa para promover a abertura e a tolerância.
19. Nossas comunidades de fé têm uma responsabilidade de incentivar a conduta imbuída com sabedoria, compaixão, compartilhamento, caridade, solidariedade e amor; inspirando todos a escolherem o caminho da liberdade e da responsabilidade. As religiões precisam ser uma fonte de energia útil.
20. ... Devemos fazer distinção entre o fanatismo e o zelo religioso.
21 Favoreceremos a paz enfrentando as tendências dos indivíduos e das comunidades a assumirem, ou até mesmo ensinarem que eles são inerentemente superiores aos outros...
22. Promoveremos o diálogo e a harmonia entre e dentro das religiões... respeitando a busca pela verdade e a sabedoria que está do lado de fora.
23. ... Conclamamos as diferentes tradições religiosas e culturais a unirem as mãos e... a cooperarem conosco." [18].
Seja de forma consciente ou por puro pragmatismo orientado para o sucesso, o movimento da Igreja com Propósitos respondeu ao chamado. Com o guru da administração Peter Drucker como seu mentor, a busca de Rick Warren por reforma e transformaçãoo serve muito bem à visão da ONU. Na verdade, as duas parecem marchar ao som dos mesmos tambores. Como a visão de Rick Warren de transformação, o Programa Cultura da Paz, da UNESCO, propõe a total transformação para seu sistema global de avaliações e controle — "um processo de transformação individual, coletiva e institucional." [2].
Aqueles que estudam a literatura da ONU percebem que sua planejada "Cultura da Paz" adotaria alegremente uma forma contemporizada de cristianismo que serviria o sistema mundano. Mas o cristianismo bíblico, tão desprezado pelo mundo, seria banido — exatamente como Jesus Cristo advertiu aos seus discípulos:
"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo." [Mateus 24:9-13].
Um grupo pequeno de missionários fiéis, trabalhando silenciosamente entre os pobres da África, poderia, pela graça de Deus, compartilhar todo o evangelho fora do alcance dos olhos atentos dos novos gerentes globais. Mas o movimento Propósitos, sedento por publicidade, com sua agenda popular, será cuidadosamente acompanhado para verificarem se ele está se conformando com os ideais da ONU. Para ser bem sucedido dentro dessa estrutura global de controle, é preciso se conformar, obedecer e, finalmente, servir à agenda global. E a fúria dele poderá muito bem ser colocada naqueles missionários que não contemporizam e nos cristãos fiéis, que preferem sofrer a perseguição nas mãos dos intolerantes "pacificadores" do que trair seu amado Senhor.
Vale a pena lembrar duas Escrituras para os tempos desafiadores que estão por vir:
"Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim." [João 16:2-3].
"Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." [Atos 20:24].
Leia também os seguintes artigos relacionados:

Notas Finais

1. Rick Warren: Global Baptists -- "We're all in this together," em http://www.bwanet.org/Congress/congresstoday29f.htm.
2. UNESCO Culture of Peace Programme, em http://www.peace.ca/vowunesco.htm.
3. Federico Mayor, falando na conferência sobre "solidariedade" durante a Conferência das Nações Unidas Sobre Assentamentos Humanos, em Istambul, Turquia, em 1996. Gravado e transcrito por Berit Kjos.
4. Leonard Sweet, Soul Tsunami, (Grand Rapids, MI: Zondervan Publishing House, 1999), págs. 17, 34, 75.
5. Ken Camp, "Second Reformation' Will Unify Church, Warren Tells Dallas GDOP," Pastors.com, 2005, emhttp://www.pastors.com/article.asp?ArtID=8280.
6. Leonard Sweet, Quantum Spirituality, todo o livro on-line pode ser encontrado em Quantum Spirituality: A Postmodern Apologetic,http://www.leonardsweet.com/Quantum/quantum-ebook.pdf
7. Veja "The International Agenda" em http://www.crossroad.to/Books/BraveNewSchools/2-International.htm e Os Grupos Pequenos e o Processo Dialético em http://www.crossroad.to/articles2/04/3-purpose.htm. Veja também http://www.undp.org/eo/ADR.
8. "Millennium Goal: Conforming the World to Socialist Solidarity" em http://www.crossroad.to\articles2\TwoSummits.htm.
10. "Serving the 'greater whole", em http://www.crossroad.to/Books/BraveNewSchools/6-Service.html e "Social Change and Communitarian Systems em http://www.crossroad.to/articles2/04/6-purpose-communitarian.htm e "Molding Human Resources for the Global Workforce", em http://www.crossroad.to/text/articles/HumanResources.html.
11. "Pastor Warren lays out a global vision, em http://www.ocregister.com/ocr/2005/04/17/sections/local/local/article_484964.php," [cadastramento necessário].
12. "Reinventing the World", em http://www.crossroad.to/articles2/Reinvent1.htm e "A Infiltração Ocultista na Igreja Cristã, Visando Destruí-la a Partir de Dentro" em N1629.
13. "P.E.A.C.E. Plan: A Worldwide Revolution, Warren Tells Angel Stadium Crowd", emhttp://www.purposedrivenlife.com/absolutenm3/templates/articles.aspx?articleid=981&zoneid=25.
14. David Van Biema, "Warren of Rwanda," revista Time, 22 de agosto de 2005, emhttp://www.time.com/time/archive/preview/0,10987,1093746,00.html.
15. "Remarks by his Excellency Paul Kagame, President of the Republic of Rwanda, at Saddlback Church", emhttp://www.gov.rw/government/president/speeches/2005/17_04_05_saddleback.htm (17 de abril de 2005).
17. Richard Bennet, "The Purpose Driven Life: Demeaning the Very Nature of God emhttp://www.bereanbeacon.org/articles/rick_warren_purpose_driven_2.htm.
19. "Lidando com os Resistentes", http://www.espada.eti.br/db039resiste.asp.

Autora: Berit Kjos (Kjos Ministries, em http://www.crossroad.to)
Data da publicação: 7/6/2006
Patrocinado por: A. J. R. C. — Fortaleza / CE
Revisão: http://www.TextoExato.com
A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/peace-onu-1.asp

FONTE: Espada do Espírito
publicado anteriormente em 27.12.2007
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visitas dos lugares mais distantes

Minha lista de blogs

Aborto diga não!

Aborto diga não!
1999 - Um fotógrafo que fez a cobertura de uma intervenção cirúrgica para corrigir um problema de espinha bífida realizada no interior do útero materno num feto de apenas 21 semanas de gestação, numa autêntica proeza médica, nunca imaginou que a sua máquina fotográfica registaria talvez o mais eloquente grito a favor da vida conhecido até hoje.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.

Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX).

Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença".

Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias.

Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Fonte:www.apocalink.blogspot.com