sábado, 1 de fevereiro de 2014

MASSACRE NA ESCOLA SANDY HOOK em 14.12.12 O QUE ACONTECEU?

O massacre na escola Sandy Hook, em Newtown, Connecticut, que matou 26 pessoas – 20 crianças com idades entre 6 e 7 anos e seis adultos – na sexta-feira (14), chocou os Estados Unidos.
A identidade do atirador foi confirmada  no domingo (16) pela polícia. Adam Lanza, de 20 anos, entrou armado na escola, disparou contra alunos, professores e funcionários, e cometeu suicídio. Antes, ele havia matado sua mãe, Nancy Lanza, em casa.

O QUE FOI QUE ACONTECEU AQUI DE VERDADE?

video

VEJAM ESTE DOCUMENTÁRIO!

video
Durante as horas que sucederam o tiroteio, as informações dadas pela polícia e vazadas pela imprensa americana foram desencontradas.

Com o passar dos dias, a polícia esclareceu alguns detalhes - como a identidade das vítimas, do atirador, e como ele entrou na escola.
Entretanto, vários pontos-chave da investigação ainda não foram esclarecidos, entre eles, o que motivou o crime e o porquê de a escola primária ter sido escolhida como alvo do atirador.

Sexta-feira, 14 de dezembro

- Adam Lanza atira em sua própria mãe, Nancy, na casa onde vivia e segue para escola, na pequena cidade de Newtown, um subúrbio de Hartford, capital do estado americano de Connecticut.
Ela é a primeira vítima morta pelo atirador. Seu corpo foi descoberto após o massacre, quando a polícia foi até a casa do suspeito.

- Por volta de 9h20 no horário local (12h horário de Brasília), o atirador invade a escola primária Sandy Hook. Ele 
dispara contra uma porta de vidro para entrar no local e, em seguida, inicia o massacre. De acordo com o porta-voz da polícia de Connecticut, Paul Vance, o autor do ataque não foi autorizado a entrar pelos funcionários.

- Adam encontra a diretora da escola, Dawn Hocksprung, e a psicóloga Mary Scherlach, que foram para o corredor após ouvirem os disparos. As duas são mortas.
- Em seguida, Lanza passa pela sala da professora Kaitlin Roig, que havia escondido seus alunos no banheiro e fechado a porta. Ele passa reto e acaba entrando na sala da professora Lauren Rousseau. Lauren, outra professora e todos os alunos são mortos.
- O atirador segue para outra sala, da professora Victoria Soto. Relatos da polícia apontam que Victoria escondeu seus alunos no armário da sala. Ela tenta distrair o atirador, mas seis estudantes tentam fugir, e Lanza atira em todos eles e na professora. Outros sete alunos são encontrados vivos dentro do armário pela polícia, de acordo com a imprensa local.
- As armas usadas pelo assassino foram uma Glock 10 mm, Sig Sauer 9 mm, e um fuzil Bushmaster- usado em quase todas as mortes. Uma quarta arma foi encontrada no carro que ele dirigiu até a escola. Segundo a polícia, foram encontradas centenas de balas no local do crime.

- Às 9h40 no horário local (12h40 no horário de Brasília), a polícia recebe a primeira chamada de emergência para a ocorrência, segundo autoridades locais. Mais tarde, o governador do estado Dan Malloy informa que a primeira ligação de emergência foi feita por alguém ferido e que sobreviveu ao tiroteio.
- Enquanto Adam atira na segunda sala, ele ouve chegada da polícia e das equipes de emergência e comete suicídio, segundo a imprensa americana.
- Agentes do FBI, a polícia federal americana, equipes da SWAT e polícia local chegam à escola. Pouco tempo depois, um grande número de pais de alunos se concentra no local em busca de seus filhos.
- Três vítimas chegam a ser socorridas com vida. Elas são levadas para o Hospital Danbury, a cerca de 16 quilômetros dali, mas duas morrem, ambas crianças, momentos depois. A escola é esvaziada pela polícia, e professores pedem para que crianças fechem os olhos para não verem os colegas mortos.

- O jornal local "Newtown Bee" publica a primeira foto do incidente. A imagem mostra crianças assustadas sendo retiradas da escola pela polícia para encontrar seus pais em local seguro.
- Jornais e TVs americanas divulgam nome errado de suspeito. A informação foi corrigida cerca de uma hora e meia depois. Inicialmente Ryan Lanza, irmão do atual suspeito Adam Lanza, foi apontado como autor do crime pela imprensa americana. Ao descobrirem que ele estava vivo, a informação foi corrigida.
- Ryan Lanza, irmão de Adam, presta depoimento à polícia e é liberado. O pai de Adam, que inicialmente chegou a ser dado como morto, também é ouvido pelas autoridades policiais.

- O presidente Barack Obama se emociona ao falar pela primeira vez sobre o tiroteio. "Sei que não existe um pai nos EUA que nao sinta o mesmo pesar que sinto. A maioria dos que morreram hoje eram crianças. Elas tinham a vida toda pela frente, aniversários, formaturas, casamentos, seus próprios filhos", disse o presidente.
- A polícia confirma a morte de 26 pessoas na escola primária e de uma mulher, apontada como mãe do suspeito, que foi encontrada morta em casa.
- Defensores do controle de armas fazem vigília em frente à Casa Branca e prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, pede uma legislação de controle do porte de armas.
- Durante a madrugada, corpos das vítimas são retirados da escola para serem periciados.

Sábado, 15 de dezembro
- Barack Obama pede aos americanos que sejam solidários com os familiares das vítimas do massacre e alerta para a necessidade de "medidas decisivas" que possam evitar estas "tragédias". A declaração é transmitida durante programa de rádio e internet semanal do presidente.
- A identificação dos corpos das vítimas é concluída, e as famílias são notificadas. A perícia no local prossegue. Os corpos são retirados da escola.

Em entrevista coletiva, o porta-voz da polícia local, Paul Vance, informa que os policiais conseguiram recolher provas importantes que permitirão reconstruir o crime e elucidar como e por que o massacre ocorreu. "Encontramos evidências muito boas, que os nossos investigadores poderão usar em, espero, definir o quadro completo sobre como, e mais importante por que isto ocorreu", afirmou.
- A polícia divulga lista com os nomes das vítimas. Em coletiva de imprensa, o chefe do departamento de medicina legal, o médico Wayne Carve revela que mortos no tiroteio foram atingidos mais de uma vez. De acordo com Carve, todos morreram de ferimentos de bala, e os casos foram classificados como homicídio.

- Ao longo do dia, moradores prestam homenagens em frente à escola primária Sandy Hook. Um memorial para as vítimas do massacre surge no local da tragédia e parentes depositam flores, ursinhos de pelúcia e mensagens de condolências.

- O pai de uma menina morta no tiroteio 
dá um depoimento emocionado à imprensa. “Ao seguirmos em frente a partir do que aconteceu aqui, o que aconteceu com tanta gente, que isso não seja algo que nos defina, mas que nos inspire a ser melhores, que tenhamos mais compaixão e sejamos mais humildes”, diz Robbie Parker, pai de Emilie de seis anos.

-  Petar Lanza, pai do suposto atirador, 
divulga comunicado expressando condolências  para as famílias das vítimas do massacre. “Nossa família está sofrendo junto com todos os que foram afetados por essa grande tragédia. Não há palavras capazes de expressar o tamanho dessa dor. Estamos em choque e tentando encontrar respostas para o que aconteceu.”
Domingo, 16 de dezembro

7h30 - A comunidade de Newtown, em Connecticut,comparece em peso às igrejas da cidade para recordar as 26 vítimas do massacre, horas antes da chegada do presidente Barack Obama.
- A senadora democrata Dianne Feinstein diz que apresentará um projeto de lei, assim que o novo Congresso tomar posse em janeiro, para proibir as armas de assalto.
- Uma igreja católica romana é esvaziada após uma ameaça de bomba ter sido relatada por autoridades durante uma missa. A igreja fica a 1,6 quilômetro do local onde ocorreu o tiroteio.
- Autoridades confirmam pela primeira vez a identidade do atirador e que ele cometeu suicídio. Pouco se sabe até o momento sobre Adam Lanza. Os primeiros amigos e conhecidos entrevistados o descreveram como uma pessoa inteligente, educada e quieta.

- O porta-voz da polícia, Paul Vance, faz advertência sobre informações publicadas nas redes sociais, lembrando que a polícia é a única fonte confiável sobre a investigação do massacre. "Isto é um problema para nós, porque há informações falsas publicadas nas redes sociais", disse. Vance fez alusão a pessoas que se fizeram se passar pelo assassino (Adam Lanza) ou que publicaram informações fazendo-se passar por policiais.
- Aluna brasileira da escola Sandy Hook conta em entrevista ao Fantástico o que viu no dia da tragédia. “A gente escutou um monte de porta fechando e trancando, um monte de professora gritando", disse Gabriela Porto.
- Em visita à cidade de Newtown, Obama fala sobre políticas mais duras contra a violência para que tragédias semelhantes não ocorram. Ele pediu em uma cerimônia religiosa ecumênica em Newtown que todos "façam com que nosso país seja mais digno" em memória das vítimas, após transmitir aos familiares e amigos dos mortos "o amor e as orações" dos Estados Unidos.

Segunda, 17 de dezembro

- Os velórios das vítimas do massacre começam a ser realizados. Famílias anunciam horários e datas das cerimônias religiosas e dos enterros.
- Escolas de todo o estado de Connecticut iniciam policiamento reforçado no entorno das escolas para o primeiro dia de aulas após o massacre, segundo o jornal local "Hartford Courant". Durante o fim de semana, gestores das escolas de todo o estado fizeram reuniões e disponibilizaram vídeos instrutivos para os funcionários das instituições com dicas de como falar com as crianças sobre o episódio de violência, relata a publicação.
- A polícia afirma que dois feridos sobreviveram ao ataque.

Terça, 18 de dezembro


O que ainda não foi esclarecido:
Motivo do crime

Ainda não se sabe o que levou o atirador a entrar na escola armado e atirar em alunos e professores. A casa do suspeito
Adam Lanza foi vistoriada pela polícia logo após a tragédia, mas nenhum bilhete de suicídio foi encontrado. A polícia tem evitado revelar os elementos de provas que explicariam as razões de Lanza para cometer o massacre. As autoridades tampouco deram detalhes sobre os fatos da sexta-feira (14), explicando que a investigação está em curso.
Relação com a escola

Inicialmente, a imprensa americana divulgou que a mãe do atirador trabalhava na escola primária de
Sandy Hook. No sábado, o porta-voz da polícia, Paul Vance, negou a informação e o rumor de que o atirador tenha se envolvido em uma briga na escola, antes do massacre. "Não há relatos de qualquer briga na escola envolvendo esse individuo".
Sobreviventes
De acordo com a polícia, dois adultos foram feridos, mas sobreviveram.

PUBLICADO NO G1 EM 16/12/2012 22h28 - Atualizado em 18/12/2012 17h04

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante! Através dele terei oportunidade de aprender mais! Muito obrigado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visitas dos lugares mais distantes

Minha lista de blogs

Aborto diga não!

Aborto diga não!
1999 - Um fotógrafo que fez a cobertura de uma intervenção cirúrgica para corrigir um problema de espinha bífida realizada no interior do útero materno num feto de apenas 21 semanas de gestação, numa autêntica proeza médica, nunca imaginou que a sua máquina fotográfica registaria talvez o mais eloquente grito a favor da vida conhecido até hoje.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.

Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX).

Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença".

Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias.

Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Fonte:www.apocalink.blogspot.com