segunda-feira, 14 de julho de 2008

TRES NÍVEIS DE GUERRA ESPIRITUAL

Três Níveis de Guerra
Os níveis da guerra espiritual
Está escrito: "...que Satanás não leve vantagem sobre nós; porque não ignoramos as suas maquinações" (2 Co.2:10b e 11) Satanás é um estrategista. Muda constantemente suas táticas. Ainda bem que Deus nos dá espírito de revelação e através da sua Palavra descobrimos seus intentos. Efésios 1:17. Os níveis da Guerra Espiritual ainda estão sendo objeto de estudo profundo. Não no aspecto de sua existência, mas na descoberta de novos dados contemporâneos checados com a Bíblia. Por exemplo: a queda de Jericó, do ponto de vista humano é incompreensível, mas fazendo uma análise espiritual, compreenderemos muito bem porque houve triunfo do povo de Deus. Outro exemplo: Quem pode compreender a Guerra registrada em 2 Crônicas 20, quando o rei Josafá é desafiado a enfrentar uma grande multidão de Edom? Com esses e outros exemplos constataremos que há níveis estratégicos de guerra espiritual. Tem-se aprendido muito das artimanhas do inimigo através de pessoas que tem se rendido a Jesus Cristo e que foram anteriormente espíritas, macumbeiras, chefes de terreiros, bruxos e satanistas. Esses irmãos têm trazido preciosas revelações sobre as maquinações do diabo nesses últimos tempos.
Peter Wagner, estudioso desta matéria, tem feito a classificação em três níveis no seu livro "Oração de Guerra" num certo sentido ao fazermos guerra, envolvemo-nos com todos os níveis, pelo fato de não ser possível separar um do outro, mas para efeito de compreensão e estudo é mais fácil analisarmos pelos níveis aqui descritos:
1) Guerra Espiritual em Nível Solo ou nível de chão. O mal que obra na terra, nas pessoas, Atos 8.5-8
2) Guerra Espiritual em Nível de Ocultismo o mal oculto, ex. Simão o Feiticeiro, ou Elymas, Atos 8.9; 13.6-8.
3) Guerra Espiritual em Nível Estratégico ex. Ártemis de Éfeso chamado majestade divina, Atos 19:27.
1. Guerra Espiritual em Nível de Solo.
Este é onde vemos mais ativamente o ministério que chamamos de Libertação; é o mais comum; é o que mais vemos no nosso dia-a-dia, independente de se estar ligado a algum ministério desta natureza ou não, uma vez que todos nós, os salvos em Cristo Jesus fomos chamados para sermos ministros. Em Marcos 16:17, Jesus deu esta missão aos seus discípulos. Este é o primeiro confronto real com as obras das trevas. Deus tem levantado muitos ministérios de libertação e pastores com esta visão em seus ministérios pessoais nos últimos tempos. Existe hoje uma variedade de ministérios levantados por Deus nesta área
2. Guerra Espiritual em Nível de Ocultismo.
Em 2 Co.10:3-6 Paulo fala que nossa luta não é segundo a carne, e que as armas que temos para lutar também não o são, porque as fortalezas contra as quais lutamos são: raciocínios, que quer dizer sofismas. E sofisma quer dizer "argumento falso, falacioso, fruto da imaginação, da lógica humana, da sabedoria humana". A outra fortaleza que Paulo apresenta como nosso inimigo chama-se baluarte, que quer dizer "poder cósmico, que se manifesta de forma variada e resiste à verdade que é o conhecimento de Deus". Nesse nível estão em cheque:
1).-Maldições hereditárias
2).-Consagrações satânicas
3).-Sociedades secretas
4).-Seitas orientais
5).-Bruxaria e satanismo
6).-Nova era
A onda ocultista em todo o mundo é muito forte: Livros são editados (Anjos Cabalísticos Mônica Bonfiglio; Minutos de Sabedoria - Pastorinho; O Alquimista - Paulo Coelho; etc.); Seminários de Esoterismo, de Nova Era, com ampla divulgação. A grande dificuldade encontrada está entre os Pastores, que resistem em crer que Satanás está por trás de tudo isso, preferindo crer que isto seja mais folclore, manifestações culturais, manifestações filosóficas, modismo, etc.
» Há cristãos que em casa tem duendes, gnomos, etc. Este níveL de guerra seria talvez o mais resistente, dado a sua forma de penetração: propagandas de TV, Objetos de decoração (cristais, duendes, gnomos, bruxas, etc), cursos para profissionais liberais (Sintonia - como produzir mais em menos tempo). A estratégia nesse Nível é bem sofisticada: livros, cursos, seminários, alimentos, objetos, etc. Temos que tomar cuidado para não sermos igualmente envolvidos.
3.-Guerra Espiritual em Nível Estratégico.
Nesse nível a luta é contra principados, potestades, príncipes do mundo: - ef.6:12 o nível estratégico é a guerra frontal contra altas hierarquias satânicas. O inimigo tem um exército bem treinado e bem distribuído por áreas, a fazer forte oposição contra os santos do Altíssimo para que não avancem na conquista de cidades para o Senhor Jesus. O exército satânico tem companhias em cada cidade, com bases muito bem estabelecidas; oficiais debaixo de comandos superiores operando toda forma de mal:
1).-Acidentes
2).-Violências físicas
3).-Degeneração moral
4).-Violências sexuais
5).-Pobreza
6).-Todo tipo de doença
7).-Distúrbios
8).-Revoltas/rebeliões
9).-Sectarismo/racismo
10).-Guerras e rumores
11).-Suicídios
12).Domínio de autoridades.
» Para que haja operação satânica nesse nível, o inimigo estabelece bases legais. Uma base legal é estabelecida de várias formas. Pode ser por um triângulo satânico existente no local. Exemplo: Um centro espírita - uma loja maçônica - um terreiro, em disposição de um triângulo na cidade, o inimigo cria uma abóbada satânica e dali ele faz suas operações, ali ele faz suas reuniões, ali ele estabelece uma base. Uma outra possibilidade é quando num determinado local foi derramado sangue inocente - cria-se uma base também. E assim por diante.
» Há Igrejas que ficam emperradas e não se desenvolvem por estarem debaixo daquela abóbada. Então a necessidade de uma guerra em nível estratégico precisa ser estabelecida para que se fechem os locais que dá a sustentação. Jesus falou de Betsaida e Corazim como sendo cidades mais resistentes que as de Tito e Sidon. Por que? As pessoas que ali habitavam eram diferente das de Tiro e Sidon ? Ou a cegueira do entendimento provocada por Satanás era mais intensa por estar aquele povo debaixo de um domínio intenso? Leia Lucas 10:1-19. A Batalha nesse Nível não pode ser feita de qualquer maneira. É preciso arregimentar bem o exército do Senhor. Ter guerreiros bem treinados e prontos a pagar o preço da verdadeira renúncia. Horas e horas de oração e intercessão. Vida consagrada e santificada ao Senhor para que o inimigo não encontre brecha e venha detonar sua bomba.
Para guerrear nesse Nível é preciso fazer guerra em grupo. Este nível de guerra espiritual é trabalho da igreja, ou ao menos de um grupo de intercessores, Tiago 4.7; Rom. 12.21; 1 Pedro 5.9.
Os três níveis de guerra espiritual é autoria de Peter Wagner adaptado por Pr. Vanderlei Cardoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante! Através dele terei oportunidade de aprender mais! Muito obrigado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visitas dos lugares mais distantes

CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2011 EM MACAPA (AP)

Loading...

Minha lista de blogs

Aborto diga não!

Aborto diga não!
1999 - Um fotógrafo que fez a cobertura de uma intervenção cirúrgica para corrigir um problema de espinha bífida realizada no interior do útero materno num feto de apenas 21 semanas de gestação, numa autêntica proeza médica, nunca imaginou que a sua máquina fotográfica registaria talvez o mais eloquente grito a favor da vida conhecido até hoje.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.

Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX).

Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença".

Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias.

Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Fonte:www.apocalink.blogspot.com