terça-feira, 24 de julho de 2012

'BATMAN, O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE’: TIROTEIO FOI CULPA DA IGREJA, AFIRMA AUTOR CRISTÃO


David Jesse, nativo de Colorado, acordou outro dia de manhã com a notícia do fuzilamento em massa em um cinema Aurora no qual 12 pessoas foram mortas e 58 feridas e imediatamente se sentiu da mesma forma que mais de uma década depois da tragédia de Columbine.
Embora primeiro lembrando como líderes cristãos na época apontavam para os males da sociedade culpando os tiroteios em Columbine, ele diz que a Igreja é a culpada pelo que aconteceu em Aurora durante a primeira exibição do novo filme de Batman.
"Treze anos atrás, quando aconteceu em Columbine, isso me atingiu como um soco no estômago", o orador cristão e autor disse ao The Christian Post na sexta-feira pouco depois de postar seus pensamentos como um escritor contribuindo para o site do ministério dos homens Third Option Men.
As palavras de sua coluna "A noite começa: Onde está a luz?" veio depois que ele disse: "Tudo o que estava em meu coração há 13 anos veio voltou."
"Na sequência do tiroteio horrível em Columbine, que resultou em 14 mortes e dezenas de feridos, os cristãos em todo o país aproveitaram a oportunidade para culpar a sociedade e Hollywood pelo desaparecimento da cultura", Jesse escreveu. "Eles apontaram as semelhanças de cenas em filmes como The Basketball Diaries e The Matrix, e o bombardeio constante de jogos de tiro em primeira pessoa como Doom, e orgulhosamente declararam que o problema era que a nossa cultura tornou-se tão corrupta e obcecada com o mal, que algo como Columbine era inevitável."
O residente de Colorado Springs continuou, "Nós levamos algum consolo em histórias de vítimas como Cassie Bernal e Rachel Scott, que enfrentaram audaciosamente os atiradores que os procuravam simplesmente por causa de sua fé em Deus. Comemoramos estes mártires pela ousadia, como deveríamos. Mas nós perdemos o maior ponto."
Jesse disse que o tiroteio terrível em Aurora não é culpa de cineastas de Hollywood ou da sociedade ou de "um mundo caminhando cada vez mais longe da Verdade."
"O tiroteio em Denver ontem é culpa da Igreja", escreveu ele.
"É nossa responsabilidade se levantar e fazer deste mundo um lugar melhor e não se sentar ao redor e condenar os outros quando eles agem do jeito que eles vão agir. O mundo é um lugar escuro", disse a CP.
Ele disse que, apesar de algumas coisas boas terem saído da tragédia de Columbine, como os testemunhos de cristãos que defenderam sua fé e os ministérios que se formaram depois, os cristãos como um todo tem que fazer uma auto-avaliação.
"Olhando para trás, vejo o mesmo problema como uma potencial hoje que aconteceu então é que perdemos a oportunidade da Igreja de ter um momento honesto e dizer que se o mundo não é a maneira que supostamente deve ser, então a culpa não é do mundo, é culpa nossa", explicou. "Não podemos olhar para o mundo do jeito que está e achar que a Igreja está sendo o sal e a luz que Cristo nos chamou para ser nele."
A Igreja não está funcionando de acordo com a Palavra de Deus hoje, disse Jesse, que foi o autor do livro Abordagens da meia-noite: Compreendendo os tempos e sabendo o que fazer com eles.
"Nós nos permitimos ser corrompidos pelo mundo. Nós permitimos que o mundo nos influencie em vez do que somos chamados a fazer, que é o de influenciar o mundo."
É o mesmo "ciclo" que Israel passou como mostrado em todo o Antigo Testamento, disse ele.
"[Israelitas] eram chamados a ser como a luz para a nação. Eles foram colocados na posição na encruzilhada do mundo lá em Israel para influenciar as nações enquanto eles viajavam. Eles por um curto período de tempo, mas depois em vez de serem a luz das nações eles permitiram que os deuses desses mundos e as culturas desses outros países os influenciassem até onde eles começariam a se comprometer", disse ele. "Eles estavam indo em uma direção completamente oposta da que eles foram chamados a ser. Por que o mundo não viu a luz que eles deveriam ver e Israel sofreu julgamento como o resultado disso."
Jesse concluiu: "Se você olhar para as coisas como elas são hoje, estamos sendo influenciados pelo mundo ao invés do contrário. Nós olhamos para o mundo e dizemos 'isso é terrível e as coisas estão piorando e piorando’ e talvez é 'o tempo que nós vivemos’. Bem, isso não é mais aceitável."
Quando perguntado o que a Igreja e os cristãos podem fazer, especificamente, que seja diferente do que antes em sua reação a tragédias como a do tiroteio Aurora, ele disse: "Primeiro, temos de ser honestos com nós mesmos e isso começa com o verdadeiro arrependimento, não como se fala no domingo, na igreja, dizendo que precisamos orar para as famílias e todos os envolvidos nela. Isso não é uma solução para o problema.”
"Nós precisamos de algum arrependimento sério, onde as pessoas de Deus olham para suas próprias vidas e corações e veem onde eles se comprometeram e começam a se arrepender, ficar de face diante de Deus e lhe pede para perdoar e pede para mudá-los de dentro para fora."
Ele disse que o segundo passo para a Igreja é a de reavaliar o modo como ela está compartilhando quem é Cristo para o mundo.
"Eu não estou dizendo para promover um evangelho social ou um evangelho da prosperidade. Precisamos dizer às pessoas deste mundo que o mundo está corrompido, que ele está danificado e não funciona da forma como deveria funcionar", disse. "É tempo para a Igreja dizer que não temos que descobrir, mas sabemos o aquele que faz e estamos dispostos a apontá-los na direção da esperança, da luz, da vida e não do desespero e morte, e trevas que é o que o mundo está clamando agora. Temos que mostrar-lhes que Jesus é a vida."
Jesse apontou que as únicas pessoas condenadas por Jesus durante seu ministério na terra eram as pessoas religiosas que viveram uma vida hipócrita.
"Nós (da Igreja) estamos vivendo uma vida hipócrita. Ele está olhando para nós agora e nos condenando eu acredito porque não temos sido o que ele nos chamou para ser", disse ele. "Somos Jesus na terra agora e se não mudarmos a forma como estamos fazendo as coisas, e isso começa com arrependimento e oração, então nós vamos estar a olhar para este tipo de tragédia ou de outra tragédia que é ainda pior dez anos à frente novamente e nós vamos estar dizendo as mesmas coisas repetidas vezes."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é importante! Através dele terei oportunidade de aprender mais! Muito obrigado!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Visitas dos lugares mais distantes

CAMPANHA MUNDIAL DE ORAÇÃO 2011 EM MACAPA (AP)

Loading...

Minha lista de blogs

Aborto diga não!

Aborto diga não!
1999 - Um fotógrafo que fez a cobertura de uma intervenção cirúrgica para corrigir um problema de espinha bífida realizada no interior do útero materno num feto de apenas 21 semanas de gestação, numa autêntica proeza médica, nunca imaginou que a sua máquina fotográfica registaria talvez o mais eloquente grito a favor da vida conhecido até hoje.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

É importante esclarecer que este BLOG, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.

Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença" (inciso IX).

Além disso, cabe salientar que a proteção legal de nosso trabalho também se constata na análise mais acurada do inciso VI, do mesmo artigo em comento, quando sentencia que "é inviolável a liberdade de consciência e de crença".

Tendo sido explicitada, faz-se necessário, ainda, esclarecer que as menções, aferições, ou até mesmo as aparentes críticas que, porventura, se façam a respeito de doutrinas das mais diversas crenças, situam-se e estão adstritas tão somente ao campo da "argumentação", ou seja, são abordagens que se limitam puramente às questões teológicas e doutrinárias.

Assim sendo, não há que se falar em difamação, crime contra a honra de quem quer que seja, ressaltando-se, inclusive, que tais discussões não estão voltadas para a pessoa, mas para idéias e doutrinas.

Fonte:www.apocalink.blogspot.com